O que as pessoas inteligentes fazem quando não são aceitas

Resiliência Humana

Seria maravilhoso estar rodeado de pessoas suficientemente tolerantes e humildes para reconhecer a superioridade intelectual de quem a possui. A realidade, porém, costuma ser bem diferente. Se existe uma característica comum que define os medíocres é sua habilidade de deturpar e humilhar aqueles por quem se sentem superados, como se, assim, evitassem uma espécie de ameaça, como se humilhar as pessoas inteligentes os tornasse mais preparados.

Por outro lado, sejamos sinceros: ser inteligente em um ambiente medíocre é um problema. Porém, se você realmente é tão inteligente como acredita ser, não tentará demonstrar que está acima de ninguém. E mais, sua atitude diante dessa circunstância diz muito sobre você.

Além do politicamente correto, sobreviver à mediocridade significa aceitar-se e compreender que não é preciso provocar ninguém para isso. Tampouco é o caso de se fazer de tonto para ser aceito pela média, mesmo que em algumas ocasiões isso possa ser uma forma eficaz de passar despercebido e não sofrer com a ira daqueles que se sentem ameaçados por você. De fato, se você realmente é uma pessoa inteligente poderá também tirar proveito das circunstâncias, sem ofender nem se sentir ofendido.

As pessoas inteligentes aceitam que não vão agradar a todos

Ninguém agrada a todos. Ser inteligente não o torna agradável nem imprescindível, nem uma boa pessoa. As pessoas inteligentes não caem na armadilha de pensar que o fato de serem mais preparadas as torna melhores ou alguém a quem os outros desejam conhecer.

Suas ideias, suas aspirações ou sonhos, seu conhecimento ou seus valores podem ofender muita gente. Isso o torna um pessoa mais competitiva e pode tornar evidente a inferioridade dos demais, mas você não precisa, necessariamente, mudar por isso.

As pessoas inteligentes reconhecem e aceitam que não vão agradar a todos e, consequentemente, não se deixam ofender nem tentam se defender diante de quem não as compreende. Além disso, elas não acham que essas a quem não agradam são pessoas más, mas sim que são diferentes, e as aceitam.

As pessoas inteligentes ignoram ou descartam aqueles a quem não agradam

Aceitar que existem pessoas às quais não agradamos não implica integrá-las em seu mundo. As pessoas inteligentes sabem diferenciar as pessoas que os aceitam e decidem com quem se relacionam ou não. Ser inteligente não implica aguentar todos que o incomodam.

No entanto, como se costuma dizer, “cortesia não é sinal de fraqueza”. Por isso, as pessoas inteligentes tratam todos com cortesia, independentemente de seus sentimentos com relação a eles e do quão desagradáveis e ofensivos possam vir a ser. Assim, é mais fácil evitar futuros confrontos.

Às vezes esse tratamento cortês pode significar engolir alguns sapos, e inclusive se fazer de tonto. No fundo, essa maneira de agir é muito inteligente ocasionalmente, e pode impedir situações desagradáveis que não levam a lugar nenhum. Pode, ainda, ser um autêntico desafio intelectual e de controle emocional.

As pessoas inteligentes mantêm o foco em si mesmas

Para esconder a própria incompetência ou tentar parecer mais inteligente do que são, algumas pessoas concentram suas energias em magoar e humilhar quem se destaca ou demonstrou ser mais inteligente. Isso é muito frustrante. Porém, é parte das pessoas inteligentes aprender a administrar a frustração que esse tipo de atitude gera.

Para isso, ao invés de pensarem no quão irritantes essas pessoas são e em se defenderem das ofensas públicas, as pessoas inteligentes mantêm o foco nelas mesmas, em quem são, em seus próprios valores. Não se trata de se defender diante dos outros, mas de si mesmo.

Além disso, as pessoas inteligentes tentam descobrir quais são os fatores que desencadeiam a atitude de não aceitação por parte dos outros para não provocá-los. Dessa forma, é possível prever a situação e suavizá-la, e, inclusive, mudar a reação. Os inteligentes sabem que é mais fácil mudar sua percepção, atitude e comportamento do que pedir que alguém seja uma pessoa diferente.

As pessoas inteligentes param e respiram profundamente diante dos inconvenientes

Ao invés de reagirem violentamente diante de uma circunstância incômoda quando não são aceitos, os inteligentes são capazes de parar e respirar profundamente para não se deixarem levar pela ira ou pela negatividade. Desse modo, evitam que a atitude dos outros os machuque.

Fazer uma pausa e respirar profundamente permite controlar o aumento da adrenalina provocada por certas situações, o que permite estar em melhores condições para manter uma conversa ou deixá-la passar. Respirar profundamente o ajuda a evitar uma reação exagerada e continuar com a mente aberta, e uma atitude positiva e leve.

FONTEA mente é maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana

Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia


COMENTÁRIOS