O Poder do Reforço Positivo

 

É especialmente importante, quando as pessoas em questão, são entes queridos próximos como amigos, família, as pessoas que amamos.
Existe uma parte da psicologia humana que é muito reativa a um processo chamado reforço positivo. Se você nunca ouviu sobre isso, eis a oportunidade. E se você já havia escutado sobre isso antes, parabéns! Agora aplique…

Os estudos envolvendo o reforço positivo não são novidade, já dizia Skinner: “O que é o Amor se não outro nome para reforçamento positivo?”

Em algumas vezes, certos relacionamentos acabam por se basear contagem de pontos e vantagens para ambos os lados. E um relacionamento assim está fadado ao nocaute!

Isso porque o casal acaba se acostmando em apontar erros, falar o que desagrada, indica os defeitos, briga por pequenas coisas, não querem dar o “braço a torcer”, caem na ridicularização de um ou de outro, e o pior, acabam por rebaixar o próprio companheiro(a) na frente de outros…

O relacionamento vai ficando viciado na adrenalina da acusação, das brigas sem sentido. Acaba num círculo vicioso do reforço negativo. Sempre lembrando o outro pelas falhas, pelos defeitos, pelas decisões erradas, pela incompetência e etc. E o mais legal, é que normalmente o casal entra num estado tão fechado do seu ringue emocional que acabam nem percebendo a luta diária do “só eu estou sempre certo”.

Faça o exercício! Procure observar casais próximos a você, como se comportam, como falam e você vai ver se estou certo ou não…
Por isso, a frase de ordem que eu deixo aqui, depois de pensar bastante é: Quando você ilumina tudo… na verdade não está iluminando nada! Voltarei a essa frase mais tarde.

Mas afinal, o que é o tal reforçamento positivo? Em brevíssimas palavras, significa que é muito mais eficaz promover o desenvolvimento de comportamentos desejados pela utilização do “reforço”, ao invés de “punir” os comportamentos inadequados. Entendeu? Ou seja, você vai ter resultados muito melhores quando elogia uma atitude adequada, do que acusar e brigar quando a atitude está errada do seu ponto de vista.
Quando você faz uso do reforço positivo, você mexe com a auto-estima, mostra ao outro que ele (a) é capaz e, finalmente, mexe na autonomia do sujeito.

Pela outra via (a da punição) degrada-se a condição do sujeito ele(a) fica receoso e inseguro… está constantemente vulnerável a ser avaliado como “errado” e acaba sempre buscando a aprovação externa, sua auto-estima pode ser gravemente comprometida e aí meu amigo, começa-se a contagem de pontos do relacionamento… 1, 2, 3, surge um terceiro!

Pode parecer bobagem, mas funciona! Um reforço positivo muito bom é o elogio. Ele tem um poder transformador. Sempre causa algum tipo de impacto positivo.

Há pessoas que estão tão desacostumadas a receber elogios que quando recebem um se perguntam: “Qual é a piada?”, “Onde está a sacanagem?” ou ainda “O que eu fiz de errado?”

Quando você começar a fazer uso do elogio você vai ver essas e outras reações engraçadas!

Portanto, não perca uma oportunidade de elogiar. Mas, quando elogiar? Agora!

Elogie diariamente. Sempre que observar uma atitude que esteja em conformidade com o que você espera, não perca tempo. Elogie! Faça o uso do reforço positivo nos seus relacionamentos e sinta a diferença no curto prazo.

Você irá transmitir a percepção ao outro de que você o observa carinhosamente, que você o ama, que é a pessoa mais importante para você, e assim ele(a) entra em busca de constante aperfeiçoamento.

Afinal, elogio, assim como brigas, também vicia.

Agora, quando você ilumina tudo… na verdade não está iluminando nada! O que eu quero dizer com isso é que o reforço positivo deve ser ser feito de forma sincera, genuína. Apenas o comportamento pretendido deve ser reforçado.

Por que daí seria como premiar seu companheiro(a) com uma medalha, entregues indistintamente a qualquer pessoa que participasse de uma competição de natação, como forma de premiar a presença ao invés dos resultados..

Quando eu ilumino tudo, na verdade não estou iluminado nada…
quando eu reforço tudo, na verdade eu não estou reforçando nada…

COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia



COMENTÁRIOS