O passado não tem poder para estragar o seu presente

O passado não existe na realidade, só existe em nossa mente, em nossa memória. Lembrá-lo conscientemente afetará nossas emoções, seja para o bem ou para o mal. Ele nos afetará, de uma maneira ou outra, dependendo de como você o valoriza, o avalia ou dá significado a ele.

Quantas vezes tendemos a jogar a culpa em nosso passado pela forma como nos sentimos agora? Essa falta de responsabilidade emocional é extremamente traiçoeira, já que não nos deixa tomar as rédeas de nosso presente e nos faz estacionar em uma realidade que não existe mais e que, infelizmente, não podemos modificar.

É como dar cabeçadas na parede. Quanto mais queremos que nosso passado tivesse sido de outra maneira, mais isso nos causa dor.

Mudar o prisma: aceitar o passado

Cada um escolhe e decide se quer ser infeliz pelo resto da vida ou se prefere, por outro lado, aproveitar o tempo que lhe resta e desfrutar da vida. Isso não é nada mais do que uma escolha pessoal feita no presente, que nada tem a ver com o que alguma vez nos afetou no passado.

Você já notou que cada pessoa tem uma visão totalmente diferente da realidade? Podemos ver facilmente casos de pessoas às quais algo muito ruim aconteceu, mas que optaram pode aproveitar a vida e seu presente. No entanto, na mesma situação, outras pessoas decidem ocupar a posição de vítimas durante toda a vida, se isolam, se irritam com sua má sorte e não conseguem se concentrar em outra coisa que não seja seu passado.

A diferença entre essas pessoas é, evidentemente, o prisma com o qual veem o que passaram. As primeiras aceitaram esse passado, mas não deixaram que ele influenciasse seu presente, enquanto as outras não aceitam o que aconteceu a elas, continuam se afundando nele e acabam perdendo muito mais da vida.

Se você está lendo isso é porque está vivo

Se você está se identificando com aquelas pessoas que jogam a culpa de seu mal-estar no passado, seja pela educação recebida, maus tratos, abusos, violações ou acidentes traumáticos, precisa ter em mente que aquilo acabou e que, neste momento, você está vivo.

É verdade que teve má sorte e que teria sido muito melhor que nunca tivesse passado por isso, mas aconteceu e não podemos fazer nada para mudar. Assim, as suas queixas, suas lágrimas e sua raiva são improdutivas, pare de usá-las!

Observe que neste momento, e nada além dele, você está vivo para ir à rua, conhecer gente, dançar, manter uma conversa interessante, cuidar de um animal de estimação, escrever um livro… e todas as outras coisas maravilhosas que a vida reservou para você.

Isso é sério. Não se feche, as pessoas estão lá, esperando por você. Você só precisa aceitar seu passado, dar-se um abraço e dizer: acabou, estou me despedindo de sua lembrança! Vou aproveitar o meu amigo, o presente!

mulher-braços-abertos-libertando-se-do-passado

A culpa não serve para nada

Preocupamo-nos, com certa frequência, em buscar culpados pelo que uma vez aconteceu em nossa vida. Culpamos a nós mesmos, culpamos outras pessoas, nossos pais, a cultura… mas pense, para quê?

Você não acredita que, quando as coisas já não tem mais solução ou não estão sob nosso controle, é melhor deixá-las para lá? Essa necessidade de procurar culpados só faz com que você fique, por mais tempo, voltando ao passado e não sobre tempo nem vontade para tomar as rédeas do ‘agora’.

Pare de procurar culpados; isso já não é mais importante nem funcional. O mais importante é que você “troque o chip”, agradeça por ter saído daquilo, por estar vivo, e por ser uma pessoa ainda mais forte. A partir de agora, você decide aproveitar seu presente como merece e não desperdiçar mais nenhum minuto no passado.

VIAAlice Amar
COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia



COMENTÁRIOS