O meu bom dia

A verdade é que nem sempre saímos do piloto automático e vamos vivendo, sem prestar atenção no nosso dia, só prestamos quando a vida dá um safanão e a gente, acostumado a se queixar da vida, acaba achando algo para reparar. Mas, nem sempre, temos o hábito de perceber o que acontece de bom no nosso dia a dia. Tenho certeza que muitos que estão lendo já estão se perguntando: “Mas Antunes, não aconteceu nada de bom no meu dia, foi tudo como sempre, ou pior”. Gente, se você está lendo esta matéria, é sinal que você tem no mínimo acesso à internet e um computador ou aparelho mobile, então, você tem coisas boas sim, só não está dando atenção para elas. Um dirigente que conheço e que faz um trabalho maravilhoso, muito certo nas suas palavras disse um dia: “Um pedaço de pão para um milionário pode não ser nada, mas para quem tem fome é muito”.

Então, temos que lembrar que, o que não é mais novo, mas nos mantém onde estamos, também é digno de nossa gratidão e bons olhos. Como é que você quer ter um dia melhor se não olha para o que tem com gratidão? Sincera gratidão, sentida no seu peito que aquilo é importante para você por isso, isso e isso. Não só da boca para fora.

A cada manhã recebemos o presente de poder recomeçar, tudo o que não gostamos mais, o que não queremos mais, de mudar de trabalho, de relacionamento, de hábitos, afinal hábitos se criam com a repetição de algo. Então para que você tenha um bom dia, é essencial que você mude! Não estou dizendo que você precisa largar o seu marido que só reclama de tudo que você faz, largar o emprego, não me faça isso, se você já é assim mal casada e mal empregada… pelo amor de Deus, não vai ser radical, espera, confia, vai surgir um emprego melhor, seu marido pode até tomar jeito, tratar bem as visitas, buscar sua tia que vem do interior na rodoviária (risos).  Só digo que você deve começar a olhar tudo isso com bons olhos.

Acordar e agradecer que tem uma casa, pode ser alugada, mas você está lá. Que está na sua cama, pode ter um buraco no colchão, mas você está lá, deitada em berço esplendido com seu “beinhê”. Agradeça pelo café da manhã, agradeça pela chance de estar saudável, de ter forças para realizar as várias tarefas no seu dia, agradeça que tem um emprego em meio a um cenário que não está muito favorável para todos, entendeu?  E o que isso tudo tem a ver com seu dia e com o universo? Simples, o universo vai te devolver e vai te trazer mais daquilo que você sentiu. Significa que se você sentir raiva de alguém ele vai trazer mais motivos para você ter raiva, seja do que for. Se você sentir decepção, vai ter mais decepção. Porém, se você sentir gratidão, se sentir amor ao que faz mesmo não sendo ainda o ideal, se ao menos olhar para aquela situação problema e pensar: “Tudo bem vai, não tá bom, mas vai melhorar. Vai porque confio muito no que faço ou na minha capacidade de resolver isso, e mesmo que não der para fazer agora eu sei que uma hora vai dar certo, confio muito em mim e nas forças que me amparam, recebam elas o nome que for”.

Essa é a chave que aquelas pessoas que estão sempre de bem com a vida usam e você fica se roendo de raiva de como fulano pode ser assim, mesmo que aparentemente não tenha motivos para isso. A pequena diferença é que fulano vê a vida com bons olhos, vê os problemas como uma oportunidade de trabalhar seus dons e desenvolver suas qualidades, de confiar nelas, de ser seguro no que faz e no que sente.

Bacana né? Saber que esse poder de mudar está em nossa mão e é infindável e renovado todos os dias, mesmo que você prefira ficar no piloto automático. O começo pode ser difícil, mas com o passar do tempo você vai se policiando sem ser crítico, e vai mudando seu modo de ver sua vida e começará a sentir o seu bom dia.

VIAGustavo Antunes
COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia



COMENTÁRIOS