Ninguém é obrigado a gostar da gente. E tá tudo bem.

Iandê Albuquerque

A gente tem muita dificuldade em lidar com a rejeição, né? Só de imaginar em ser rejeitado o ego se revida dentro da gente. Mas o que não entendemos é que ninguém é obrigado a gostar da gente, ninguém tem a obrigação de querer estar ao nosso lado se não quiser, ninguém deve ficar com a gente se a vontade for de ir embora. As pessoas tem zero obrigação de gostar da gente porque ninguém é obrigado a querer ninguém e tá tudo bem.

Quem já ouviu um ”eu não gosto mais de você” sabe que não é a frase mais agradável do mundo. Ouvir alguém que você ama pra caralho dizer na tua cara que não gosta mais de você dói e não dói pouco. A gente tenta encontrar respostas pra justificar o porque que o outro não quer mais ficar. A gente tenta convencer o outro que ele só pode estar errado, que a gente pode tentar mais uma vez e quem sabe, aprender a fazer o outro gostar da gente. Mas as coisas não funcionam assim. O coração nunca obedece nossas ordens, o destino é traiçoeiro e as pessoas são imprevisíveis demais quando o assunto é sentimento.

Quando a gente começa a se apaixonar e entender que definitivamente estamos envolvidos, a gente inevitavelmente começa a pensar que o outro tem a obrigação de sentir exatamente o que estamos sentindo. Mas a gente não tem como definir o momento em que o outro vai começar a gostar da gente ou o dia em que ele vai decidir ir embora. As coisas simplesmente acontecem quando têm que acontecer. Às vezes o outro não consegue gostar da gente e o que resta a se fazer, é deixá-lo ir embora, aceitar a despedida e aprender a lidar com isso.

Alguém já me disse um ”eu te acho foda, mas não gosto mais de você.” e eu simplesmente não tive respostas. Eu não podia pedir pra ele voltar gostar de mim de novo. Não podia implorar pra que ele não deixasse de gostar, porque isso não se pede. Ele gostou, não gostava mais, cabia a mim lidar com esse fato. Tudo o que eu podia fazer a partir dali, era dizer pra mim mesma: ”tá tudo bem, vai ficar tudo bem.”

Alguém não gostar de você não faz de você uma pessoa ruim ou desinteressante e quem não consegue gostar de você na mesma proporção também não é uma pessoa ruim por isso. Quantas pessoas já gostaram de você e você não foi capaz de gostar de volta? Gostar de alguém não vem com um manual de instruções. Não existe tutorial pra aprender a gostar de alguém, não se gosta de alguém assistindo algum vídeo no Youtube ”como gostar de uma pessoa ou fazer essa pessoa gostar de volta.”

Gostar tem que ser autêntico, tem que acontecer naturalmente, tem que ser leve e espontâneo. Você pode até tentar gostar de alguém, pode até conhecer alguém interessante e tentar gostar dessa pessoa, mas no final das contas você percebe que, quando você tenta premeditar as coisas não funcionam. Gostar não precisa ser metódico.

Não pense que a reprovação de uma pessoa significa que você não é alguém interessante. Saiba que o outro tem toda liberdade de não gostar da gente e por isso, escolher ir embora. Entenda que gostar às vezes não acontece na mesma proporção que esperamos, às vezes o outro só esta em um momento da vida bem diferente do seu, sabe? Às vezes a outra pessoa amou mesmo te conhecer, saber dos seus planos e sonhos, conhecer um pouquinho a tua bagunça e só. Não minimize a tua pessoa ou diminua o tamanho de alguém porque esse alguém não te quis.

Não escolhemos pelo quê ou por quem a gente vai gostar. E tá tudo bem.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Iandê Albuquerque

Sou recifense, 24 anos, apaixonado por cafés, seriados e filmes, mas amo cervejas e novelas se houver um bom motivo pra isso. Além de escrever em meu blog pessoal e por aqui, escrevo também no blog da Isabela Freitas, sou colunista do Superela e lancei o meu primeiro livro em Novembro de 2014 pela Editora Penalux. .


COMENTÁRIOS