NÃO IMPORTA O QUE TE ACONTECEU. A VIDA É UMA EXPERIÊNCIA ÚNICA

Sílvia Marques

É na perda que aprendemos. É no fim de um ciclo que recomeçamos. Sobreviventes têm muitas histórias para contar, conselhos para dar e palavras sábias que podem mudar radicalmente a vida do outro. Sobreviventes improvisam, se reciclam, transformam lixo emocional em lição de vida, em combustível para novas experiências mais plenas.

Não importa que a sua conta esteja quase sempre no vermelho e você precise pegar o metrô lotado todos os dias. Não importa que o grande amor da sua vida não se apaixonou por você e no tempo da escola você não fez parte do grupo dos populares.

Não importa que você passou dos trinta ou quarenta e não conquistou tudo o que você mais queria. Não importa que tenham partido o seu coração inúmeras vezes e pessoas que você tinha em alta conta se mostraram verdadeiras cretinas depois de algum tempo. Não importa o que te aconteceu. A vida é uma experiência única.

E entre mortos e feridos, de uma forma ou de outra, sobrevivemos. E como disse uma personagem do filme Perdas e danos, “sobreviventes são perigosos porque sabem que podem sobreviver”. Ouvi esta frase em algum lugar, mas não lembro a fonte. Só sei que ela me parece muito impressionante e verdadeira. Sobreviventes sabem que é na dor que nos fortalecemos.

É na perda que aprendemos. É no fim de um ciclo que recomeçamos. Sobreviventes têm muitas histórias para contar, conselhos para dar e palavras sábias que podem mudar radicalmente a vida do outro. Sobreviventes improvisam, se reciclam, transformam lixo emocional em lição de vida, em combustível para novas experiências mais plenas.

A vida é trágica. Não no sentido do melodrama necessariamente. A tragédia é inerente à vida humana porque esta é frágil e instável. A vida humana é finita. A nossa tragédia começa com a nossa certeza de finitude. A vida é trágica porque ela é incompleta. Nós somos incompletos. Sempre nos falta alguma coisa. Somos carentes, cheios de lacunas e reticências.

A vida é trágica porque nem sempre nossos sentimentos são correspondidos na mesma escala. A vida é trágica porque não é perfeita. Mas não importa o quanto tenham te machucado. Não importa o quanto você tenha se machucado. A vida é uma experiência única. Estar vivo por si só já é o maior dos milagres. Resta a cada um de nós decidir como usufruir deste presente.

COMPARTILHAR


RECOMENDAMOS


Sílvia Marques
Viciada em café, chocolate, vinho barato, filmes bizarros e pessoas profundas. Escritora compulsiva, atriz por vício, professora com alma de estudante. O mundo é o meu palco e minha sala de aula , meu laboratório maluco. Degusto novos conhecimentos e degluto vinhos que me deixam insuportavelmente lúcida. Apaixonada por artes em geral, filosofia , psicanálise e tudo que faz a pele da alma se rasgar. Doutora em Comunicação e Semiótica e autora de 7 livros. Entre eles estão "Como fazer uma tese?" ( Editora Avercamp) , "O cinema da paixão: Cultura espanhola nas telas" e "Sociologia da Educação" ( Editora LTC) indicado ao prêmio Jabuti 2013. Sou alguém que realmente odeia móveis fixos.

COMENTÁRIOS