Não espere pelo amor da sua vida. Seja o amor da sua vida!

Aline Felix

Quanto tempo perdemos esperando o príncipe encantado montado em um cavalo branco, segurando um buquê de flores para nos agradar? Muitas vezes!

Aprendi nesse último ano, que quanto mais esperamos por algo, mais o tempo passa, e você fica estacionado no mesmo lugar.

Não me privo mais de viver uma viagem que dizem que é melhor ser feita a dois como; Campos do Jordão, Gramado, Monte Verde e muitos outros lugares frios. O famoso amor em uma cabana.

Jamais deixe de fazer algo porque lá atrás planejou fazer a dois.

Seja o amor da sua vida.

Se você não se ama o suficiente para suprir suas vontades e desejos, jamais encontrará alguém que vá te merecer.

Quando nos amamos ao ponto de não nos importarmos mais com o fato de sempre esperar pelo amor de nossas vidas, vivemos mais felizes. Ele vai chegar, vai aparecer!

Moça, não precisa se desesperar, ficar caçando desesperadamente alguém e se privando de conhecer às pessoas.

Você ainda vai beijar muitas bocas, vai se encantar à primeira vista, vai acreditar estar apaixonada e logo depois vai desencanar. Vai entender que química é importante, que conteúdo é muito mais bonito que beleza, que caráter é a alma de tudo e que sim, é difícil encontrar alguém que quer crescer junto.

Você vai viver mais, vai esperar, vai ser feliz e vai se amar muito, e quando menos esperar ele vem a pé, de cavalo, bicicleta ou de carro carregando um buquê de flores ou aquilo que mais gosta.

Enquanto isso, vai viver, vai viajar, vai sorrir, o mundo espera você, seja sozinha ou acompanhada.

Seja sempre o amor da sua vida em primeiro lugar.

COMPARTILHAR


RECOMENDAMOS


Aline Felix
Nascida em 1989, na cidade de São Paulo é formada em jornalismo pelas Faculdades Integradas Rio Branco. Blogueira e metida a escritora é apaixonada por prosas, crônicas e contos. Seus sentimentos e pensamentos ela expressa em seu blog “pelos olhos da cidade”. Dedicada, esforçada, exageradamente dramática e otimista, procura ver a vida de uma forma simplista. É uma antítese incessante.

COMENTÁRIOS