Há pessoas de quem sinto saudades, mas não as quero de volta

Talvez você sinta saudades e lembre-se de algumas pessoas, mas não as queira de volta em sua vida.Esse sentimento é normalmente compartilhado entre as pessoas que foram parte de nossas vidas mas com quem acabamos criando relações disfuncionais.

Afinal, uma relação disfuncional acaba sendo negativa e destrutiva para nossa evolução e desenvolvimento (ou seja, que é ou foi emocionalmente, cognitivamente e comportamentalmente inadequada). Pode ser que seja difícil para nós identificar como a relação afetou nossa vida e pode ser ainda que sejamos capazes de ver um pouco da inadequação da relação, mas não fique totalmente claro para nós que pontos falharam em nossas trocas.
Conhece essa sensação? De repente você se lembra de alguém… talvez inclusive tenha vontade de procurar essa pessoa, de saber como que ela vai e de tentar recuperar algum instante ou sentimento que essa relação lhe dava. Mesmo assim você se contém, pois sabe que na verdade nada positivo pode ser acrescentado na sua vida nesse momento. Não há sequer algo que lhe garanta que vai ser igual, nunca será, o tempo já havia ajudado a mudar tudo até não servir mais.
Por isso nesse artigo vamos repassar algumas dessas questões e discutiremos se é normal sentir saudade e lembrar de algumas pessoas apesar de não as querermos de volta… Vamos ver isso com mais detalhes a seguir.

petalas-molhadas

O valor das lembranças e dos avisos que elas nos dão

De vez em quando precisamos aliviar o desgosto que nos produz a ausência de alguém que algum dia quisemos tão bem, mas que saiu de nossa vida ou porque nós decididos priorizar nosso bem-estar, ou porque a situação chegou a  tal ponto que explodiu, ou simplesmente por caminhos que se separaram guiados pelo passar da vida.

Lembrar e sentir saudades por si só não é ruim. Em primeiro lugar deve ficar claro para nós que nem tudo é branco no preto, e que temos toda uma paleta de cores que enchem de tons as nossas relações.

Ou seja, sim, sentir saudades mas não querer que algo ou alguém esteja presente em nosso dia a dia é tão normal quanto é saudável. Por quê? Entre muitas razões porque nos ajuda a determinar e a nos tornar conscientes do que nos faz bem de verdade.

Pode ser que recordemos um velho amor, uma amizade antiga ou alguém com quem tivemos uma relação que poderia ter sido, mas não foi. Por que invalidar nossos sentimentos e nossa nostalgia? Não fazer isso é o primeiro passo: lembrar e sentir falta é perfeitamente compreensível.

dente-de-leao

As sensações e emoções, um muro de contenção saudável

Talvez essa relação nos trouxesse algo que era gratificante para nós, material ou não, e então é normal que fique em nossa memória e que sintamos falta de tudo que houve de bom. No entanto, se colocarmos na balança o positivo e o negativo, às vezes a balança pende para ao segundo lado, o que merece também um reconhecimento da nossa parte.

Ou seja, talvez esse ponto complicado de desordem de energia, de desorganização, trazia ao nosso dia a dia também algo positivo. E por isso sentimos falta, mas de vez em quando desestruturar nossos esquemas é uma ferramenta desnecessária para entender o todo.
Devemos falar nesse mesmo ponto que cada pessoa e cada relação tem muitas vezes seu tempo e seu espaço, sua evolução própria e fases que se seguem. Isso é assim mesmo e isso não é ruim, como repetimos até então, isso é algo natural.
Nesse sentido nos tornarmos conscientes de que talvez essa pessoa com a qual nos conectamos durante tanto tempo do ciclo de nossa vida, ou mesmo durante pouco tempo, hoje seria inadequada para nós, pois nos traria problemas talvez até mesmo sem solução com os quais teríamos que lidar.
As situações hipotéticas que poderíamos comentar são infinitas e tão variadas como a quantidade de pessoas e de momentos que existem. Por isso, nesse ponto convidamos você a refletir e explorar profundamente as sensações que você tem com as saudades, que provocam recordações de uma relação distante. Se são boas, se são ruins, para que lado a balança pesa.
dedos-velhos-segurando-flor

Relações tóxicas que na verdade não o são

Estamos acostumados a dar a qualificação de “pessoa tóxica” para todas as pessoas que nos fizeram sofrer de algum modo. Quando essas pessoas aparecem em nossas memórias, nos atormentam e nos surpreendem ao nos mostrar que sentimos falta de algo negativo, tóxico ou venenoso para nós mesmos. No entanto, como dissemos até então, há muitas tonalidades de cor das relações além do preto e do branco.

Cada pessoa e cada relação nos traz algo, ainda que seja algo que acabamos vendo como uma coisa ruim. Em relação a isso, devemos entender que todo aprendizado é válido e nos soma algo, mesmo que a relação tenha criado algum vácuo em algum ponto de nossas vidas.

Não nos esqueçamos de que as pessoas que nutrem nossa alma não são só aquelas com as quais ficamos para sempre, pois tudo tem seu momento e seu lugar para acontecer, ainda que no fim isso fique só nas nossas memórias e recordações.

mulher-com-pescoço-de-flores

VIARaquel Brito
COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia



COMENTÁRIOS