A gratidão e os antepassados

Dizem que o que procuramos é um sentido para a vida. Penso que o que procuramos são experiências que nos façam sentir que estamos vivos.
Joseph Campbell

Em português antigo, usava-se a expressão graças vos dou para dizer o que hoje dizemos com a palavra obrigado. No entanto, dar graças é muito mais apropriado, pois tem um sentido amplo e pode ser usado em qualquer situação em que alguém deseje exercer a gratidão por um bem recebido. Já obrigado, que é a forma reduzida de fico-lhe obrigado, encerra a ideia de que a pessoa se torna devedora por um favor prestado a ela. Ou seja, fica ligada, atada, amarrada a quem a auxiliou.

No que se refere aos nossos antepassados, quando os incluímos em nossas orações, eles recebem o conforto e a vibração do aconchego. Assim, quando emanamos gratidão por tudo que nossos antepassados vivenciaram para que nos tornássemos quem hoje somos, eles recebem luz e evoluem. Essa vibração de gratidão está intimamente ligada ao perdão. Ela liberta, não aprisiona.

Todos temos antepassados que amamos e que nos deixaram um legado de amor e alegria. Mas, do outro lado da balança, existem também os antepassados que provocaram dor, mágoa e ressentimentos durante sua passagem na vida terrena. É principalmente para estes que se deve emanar o sentimento de gratidão, pois foi por meio da provação deles que crescemos e ficamos mais fortes. A dor e o amadurecimento que tiveram de passar se transformaram em lição de vida para nós.

Exemplo:
O pai que saiu do lar deixando a família abandonada à própria sorte, passando fome, sem recursos, sujeita à ajuda de outras pessoas ou de instituições. Diante desse fato, para sobreviver, os membros da família precisaram desenvolver vários atributos, como coragem, resignação e sacrifício. Na dor e na necessidade também houve o aprendizado da superação. De certa forma, é nas adversidades que ficamos mais fortes e vacinados contra os imprevistos da vida.

Assim, quando você emana gratidão a seus antepassados, mesmo que a vivência deles tenha sido na dor, eles recebem luz e, ao mesmo tempo, você está, de forma natural, desenvolvendo o perdão. O saldo é positivo porque, consequentemente, você está mais forte ao transitar na esfera do perdão, e não da mágoa ou do ressentimento.

Para algumas pessoas, o caminho é curto e agradável. Para outras, a trilha é acidentada. Mas é justamente na impossibilidade de desistir da caminhada que o milagre acontece. A todo momento, cada um de nós está passando pelo processo de Ser e de Tornar-se.

A felicidade é uma energia celestial que existe dentro de nós, não importa em que circunstância da vida estejamos. Com a gratidão, mesmo na dor, estaremos mais próximos da Divindade e da paz interior.

 

geracao

VIAMiriam Carvalho
COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia



COMENTÁRIOS