A felicidade irreal. Você compara sua felicidade com a dos outros?

Você compartilha fotos do seu dia a dia em redes sociais? Férias, praias, comidas, baladas, casais, amor, família, paz e felicidade. Isto tudo é real?

A felicidade editada está presente, mais do que nunca, na vida de quem vive logado em redes sociais. Todos os dias temos o hábito de vigiarmos uns aos outros e estimulamos esta necessidade constantemente, criando comparações que nos afetam demais.

Quem nunca postou uma foto de um momento feliz, ou então de um lugar bonito em que foi? 

Não há nada de errado nisto, o problema se encontra quando os momentos passam a ser editados, quando se cai na armadilha da chamada “Ditadura da Felicidade”.

A realidade do mundo virtual pode esconder verdadeiros traumas pessoais, frustrações e problemas. Ser obrigado a se sentir feliz é algo tão enraizado em nós que passa despercebido, porém o vazio interior continua ali, esperando o momento certo para nos assustar.

Quando tudo o que você vive está relacionado à quantidade de curtidas que você recebe, ou seja, quanto mais curtidas se tem, mais feliz você fica, cresce também a necessidade de continuar compartilhando momentos que, às vezes, nem foram tão incríveis, mas que você os faz parecer assim.

Se o ser humano não colocasse tanta condições, a felicidade seria muito mais fácil de se alcançar.

Há o prazer em se expor, o prazer em mostrar que você é mais feliz. Afinal, a felicidade alheia sempre parece ser maior e melhor que a sua e isto acarreta diversos problemas psicológicos, como por exemplo a depressão. A distorção da realidade nos faz viver num mundo em que todos são lindos, todos estão apaixonados, todos são magros e estão de bem com a vida. Mas, de verdade isto tudo é mentira!

Compartilhe sua vida, mas não se sinta melhor ou pior por isto. Compartilhe aquilo que você é de verdade e se aceite assim.

Se você sente que precisa melhorar, o faça, mas faça para você e não para expor num mundo imaginário. Nunca se esqueça que a vida que você vive é a do mundo real, no qual nada é perfeito, mas onde tudo vale a pena ser vivido, de forma intensa e verdadeira.

Não passe o dia inteiro conectado! Reserve momentos para estar consigo mesmo e refletir qual o seu papel no mundo. Com certeza você perceberá que viver no mundo real é melhor do que compartilhar algo que não existe, no mundo virtual.

VIA GABRIELLE CARREIRA
COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia



COMENTÁRIOS