Dizer adeus a quem não precisa de você também é crescer

Resiliência Humana

Quantas vezes na vida você já se viu obrigado a dizer adeus? Na verdade, não importa quantas vezes você tenha feito isto, o fundamental é saber que ao longo do seu ciclo vital será preciso quebrar mais de um vínculo, mesmo que isso represente sofrimento.

Dizer adeus é crescer, é permitir se encontrar novamente consigo mesmo pois, em certas circunstâncias, algo ou alguém estava lhe afastando dessas essências que são a felicidade e o equilíbrio com o próprio ser.

Digo adeus porque sei que você não precisa mais de mim, porque não sou a sua propriedade, porque os seus vazios me enchem de carências e porque apesar de não dizermos isso em voz alta, já faz tempo que nos despedimos.

Na verdade, poderíamos dizer que a própria despedida em si não dói tanto quanto segurar a vontade de voltar. Por que é ali onde se encontra não apenas a nossa própria fortaleza, como também a nossa dignidade.

Nunca se permita ser frágil e correr atrás de quem não precisa de você ou de quem já sabe onde você está. Ao fazer isso, você estará causando um dano profundo a si mesmo, à sua autoestima e, por sua vez, estará oferecendo poder a uma pessoa que tem na sua mão a chave da fechadura da sua felicidade.

É você quem precisa ter essa chave, você é quem deve manter as rédeas da sua vida sabendo a todo momento em quem vale a pena investir tempo, sonhos e esperanças. Dizer adeus é um ato de coragem e a melhor expressão de amor próprio.

Quebrar o vínculo com quem não precisa mais de nós requer coragem

Seria ótimo se as coisas fossem mais fáceis, se existisse uma posição mágica para o desamor, para fechar as portas do coração a quem já não gosta mais da gente, e praticar a arte do esquecimento como quem lança uma pedra no rio e olha como desaparece nas profundezas.

Dizer adeus requer coragem, é um ato de vontade pessoal por uma necessidade vital. É fechar um círculo onde você mesmo decide que já não vai mais se permitir sofrer, porque quem só dá ausências não merece a sua presença.

Não existe o esquecimento imaculado que não deixa marcas ou cicatrizes. Porque dizer adeus implica às vezes ter que curar muitos espaços, muitas mágoas e dores da alma que o tempo nem sempre alivia com a simples passagem das folhas do calendário. O tempo não cura se nós não fizermos a nossa parte, por isso vale a pena considerar estes aspectos.

Dizer adeus implica encarar um luto

É preciso assumir que o fato de dizer adeus, de deixar ir, implica passar por um processo de luto. Muitas são as pessoas que por não compreendê-lo desta forma, decidem se aferrar ao dia a dia sem ter administrado pensamentos e emoções.

Dizer adeus a uma pessoa que era significativa para você requer, em primeiro lugar, entender o que aconteceu, o que provocou essa separação. É preciso aceitar que ou você já não é amado, ou é preciso dar por terminado um relacionamento que provoca mais sofrimento que felicidade. As rupturas de vínculos requerem algum tipo de desabafo emocional, seja com lágrimas ou com palavras.

A aceitação chega dia a dia, com lentidão, mas com você estando seguro, se sentindo bem consigo mesmo porque você tomou a decisão certa. Dizer adeus sem ódio

Dizer adeus sem rancor, ódio ou desprezo nem sempre é fácil. No momento em que ganhamos consciência de que não precisam mais de nós, de que deixaram de nos amar ou de que nos oferecem um amor envenenado ou doloroso, o que sentimos é impotência e raiva.

Tenha em mente que toda emoção negativa irá impedi-lo de fechar esse círculo. É uma carga que você irá armazenar e que, de alguma forma, implica continuar “unido a essa pessoa”.

A raiva, o ódio e o rancor deixam marcas na nossa personalidade e nas nossas emoções. Fazem com que sejamos desconfiados, e que essa raiva gere ainda mais negativismo contra nós mesmos.

Liberte-se de tudo, desprenda-se de quem não precisa de você e de toda emoção negativa que implique continuar ancorado a quem lhe fez mal de alguma forma. Tudo isso lhe permitirá avançar com mais leveza. Se você acumular cada pedra do caminho, no fim não poderá percorrer o seu caminho da vida. Ficará encalhado. Liberte-se.

Dizer adeus para voltar a ser quem você era e crescer

Quando mantemos um relacionamento disfuncional, isto é, esse no qual se experimenta sofrimento, desilusão e onde, longe de crescer, quebra-se o equilíbrio pessoal, o que fazemos na verdade é nos afastar de nós mesmos.

Dizer adeus implica fazer uma delicada viagem de retorno. Você precisa curar as feridas, se cuidar e voltar à sua essência, recuperar não apenas a pessoa que você era anteriormente, mas também criar quem você deseja ser agora.

Desejo ser essa pessoa que é capaz de dizer adeus e deixar ir embora para que venham coisas novas. Coisas melhores. Desejo ser quem era, e embora seja consciente de que já perdi parte da minha inocência e esse destino ligado a quem deixei para trás, sei que sou autor do meu futuro. Sei que vou andar com esperanças renovadas, que não serei vítima, e sim alguém capaz de aprender com o que vivi e me transformar em quem eu desejo ser.

FONTEA mente é maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS