Cinco maneiras de saber se você é uma pessoa egoísta

Os seres humanos estão programados para olharem para si mesmos. No entanto, existe uma grande diferença entre olhar para si mesmo e ser uma pessoa egoísta ou não dar valor para o que os outros possam sentir diante das nossas ações. No final, é verdade que cada um é responsável pelos seus sentimentos, mas não é menos verdade que também existem muitas maneiras de maltratá-los ou sabotá-los.

Pensar em si mesmo não entra em conflito com a generosidade, o comportamento desinteressado ou a solidariedade. De fato, na sociedade em que vivemos hoje é possível colher muitos benefícios sendo altruísta e generoso. Benefícios que além disso são intrínsecos, de modo que irão manter nossa motivação.

Viver pensando que é preciso ser egoísta porque as pessoas ou a sociedade são egoístas cria uma enorme insegurança, como se a única saída possível fosse passar por cima dos outros. No entanto, optar por uma vida mais generosa, mais interessada nos outros e menos individualista é a melhor maneira de gerar oportunidades.

Como saber se você é uma pessoa egoísta?

As pessoas são egoístas por natureza, já que o egoísmo surgiu a partir de uma necessidade de sobrevivência no passado. No entanto, a compaixão também nasceu pelo mesmo motivo. No final, os seres humanos, como espécie, provavelmente não teriam sobrevivido sem a sua capacidade de formar sociedades.

Nesse sentido, é preciso redefinir o egoísmo ou, ao menos, fazer uma interpretação do que é socialmente aceitável ou inaceitável para encontrar o equilíbrio entre nossos interesses particulares e os da sociedade em que vivemos.

Você tem problemas para entender os benefícios de ser generoso?

Certamente pensar no bem de todos ou no bem do próximo também é uma ação, de certo modo, egoísta, visto que, ao menos em teoria, o que é bom para o grupo ou para o outro também beneficia o indivíduo. E mais, apenas o fato de fazer algo bom pelos outros já traz benefícios para quem o faz.

Uma pessoa egoísta não é capaz de ver as vantagens de ceder diante dos outros ou de compartilhar seu tempo, seu conhecimento ou seus recursos. As pessoas egoístas pensam que apenas o que as beneficia é realmente benéfico ou, mais ainda, que é melhor um benefício pequeno mas próprio do que um grande se for compartilhado.

Você fica nervoso quando não tem o controle?

Ser capaz de manter o controle é algo positivo, mas o que ocorre quando outra pessoa tem o controle? O que ocorre quando você depende dos outros? Você é capaz de assumir positivamente que a responsabilidade é do outro, que você deve respeitar sua decisão e submeter-se a ela?

Para uma pessoa egoísta as contribuições e as necessidades dos outros são menos importantes ou valiosas que as suas pessoais, inclusive as que têm a ver com decisões que afetam o outro em primeiro lugar.

As pessoas egoístas precisam controlar tudo, tanto as coisas que as afetam diretamente como indiretamente. Essa ansiedade pelo controle as torna excessivamente críticas em relação aos outros e as mantém dando voltas mentalmente em qualquer coisa que possa significar compartilhar responsabilidade ou perder algum controle.

Você tem problemas para trabalhar em grupo?

A colaboração requer a capacidade de escutar, de adquirir compromissos e aceitar as opiniões e propostas dos outros. Isso está intimamente relacionado com a obsessão pela perda de controle que comentamos no ponto anterior. Por esse lado, a incapacidade de trabalhar em equipe poderia indicar um problema de egoísmo.

Na situação atual, a inteligência colaborativa ou inteligência coletiva é essencial para qualquer um que se mova num ambiente social. Por isso a colaboração é tão importante em todos os sentidos, desde a aprendizagem até a expansão empresarial.

Não importa a diversidade dos padrões de pensamento. Somos testemunhas de tudo o que as pessoas podem conseguir se trabalharem juntas, se cada uma traz aquilo que sabe e coloca a serviço dos outros para que outras pessoas sigam explorando e ampliando conhecimentos. Uma pessoa egoísta não é capaz de ver isso, já que pensa que o que os outros ganham é algo que ela perde, quando na verdade todos saem ganhando.

É difícil para você assumir a culpa?

Contornar a culpa é uma desculpa padrão para justificar algo que não ocorreu bem. No entanto, mais importante do que a responsabilidade é a solução do problema. Por trás de uma pessoa que não é capaz de assumir sua parcela de responsabilidade provavelmente existe uma pessoa egoísta que só sabe pensar em evitar represálias ou olhares tortos.

No entanto, assumir a responsabilidade é na verdade algo muito libertador, tanto como é aceitar um erro cometido por outros sem julgá-lo, nem humilhá-lo por isso. Aceitar a responsabilidade sem carregar o peso da culpa é um grande ato de generosidade em relação a si mesmo, uma generosidade que se estende aos outros quando é necessário.

Você sente que nunca é suficiente e que cada vez quer mais?

Para uma pessoa que não está feliz com o que tem, sua principal preocupação sempre será ter cada vez mais, por isso as necessidades das outras pessoas passarão para um segundo plano. Uma pessoa que não agradece pelo que tem se sentirá desafortunada e pobre e não será capaz de ver o valor de algumas coisas que, embora pareçam insignificantes, são as que realmente necessita.

Por trás de alguém superficial e materialista geralmente existe uma pessoa egoísta, que apenas sente interesse por suas próprias necessidades materiais e que, portanto, despreza e/ou ignora as necessidades dos outros, inclusive as espirituais.

FONTEa mente é maravilhosa
COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia



COMENTÁRIOS