CHEGUEI ATRASADO?!

Estou sempre atrasado, não é?? Como é possível, você sempre pontual e eu sempre atrasado. Me desculpe; foram inúmeras ligações, e-mails, reuniões, mas afinal são só 20 minutos não é?? Não perdemos o vôo, certo?

– Não, não perdemos o vôo…

Foram tantas viagens à negócio, tantos “chopps” de trabalho, tantas reuniões extra “office”, foram tantas mensagens não respondidas, emails calorosos descartados, “bons dias” não respondidos…me desculpe… Me desculpe o atraso; eu sei que não te dei a atenção merecida, não devolvi 1 décimo de seu afeto, não respondi a nenhum de seus sorrisos abertos, não depositei em seus lábios nenhum beijo que chegasse aos pés da doçura dos seus…

Me desculpe o atraso…eu não soube te olhar, eu não pude, ora, te olhar seria enxergar em você coisas minhas que você sabia e eu não queria ver… Me desculpe o atraso…eu não pude te dizer o que você sabia que meu inconsciente queria, eu simplesmente não pude, eu era fraco, eu sou fraco, e você, oh Deus, como você é forte; você é uma muralha, e ainda assim consegue ser doce, delicada, amável… Me desculpe o atraso, em te apoiar nos momentos dolorosos; nos momentos em que você mais precisou, eu não estava ao seu lado, ou então, eu fugi…fugi por covardia, fugi por medo, fugi porque não saberia como apoiar uma mulher que é infinitamente mais forte do que eu.

Me desculpe o atraso, em não viver intensamente todos os momentos que vivemos, as viagens que fizemos, as aventuras que compartilhamos, você é a parceira perfeita para qualquer aventura e eu idiotamente só percebi depois que não tinha mais uma co-piloto…Me desculpe por não termos ido a todos os lugares que planejamos, mas ainda iremos, me desculpe eu sempre ser o centro das atenções em nossas viagens; você sempre dava prioridade ao meu desejo, apesar de todo planejamento ter começado com você…me desculpe ter perdido a oportunidade de fotografar alguns dos sorrisos mais lindos que você estampou, desculpe não ter podido fotografar o seu “MUITO OBRIGADA por estarmos fazendo esta viagem juntos”, foi o muito obrigada mais lindo e sutil que meus ouvidos sequer ouviram e ouvirão… Me desculpe o atraso em perceber que tudo em minha vida girava ao seu redor desde o momento que você nela entrou; nada mais era o mesmo, nada. Me desculpe levar tanto tempo para perceber que todas as minhas fugas, todas as minhas idas, todos os meus abandonos na realidade não eram abandonos de você, mas abandonos à mim mesmo.

Me desculpe eu ter levado tanto tempo para poder entender que seus olhos sempre refletiram os meus, e por isso a enorme dificuldade de focá-los; desculpe a demora em perceber sua sutileza, pois, era dela que eu havia desistido e havia escondido em mim mesmo; me desculpe achar-me fraco, covarde, afinal, somente depois de idas e vindas pude acordar e ver que minha fortaleza só permanece íntegra a seu lado, me desculpe por tantos anos me enganando, me engasgando, me sufocando, pelo medo e pela covardia em dizer: EU TE AMO!!

Me desculpe pelo atraso, ainda bem que nós não perdemos o vôo…

– Me desculpe pela espera, você me perdeu…

 




COMENTÁRIOS