Autoconhecimento: 6 passos para encontrar o seu caminho

Você já notou que algumas pessoas fazem uma grande diferença no mundo enquanto outras somente passam por essa vida?

O motivo disso está relacionado ao fato de que esses indivíduos que são extraordinários realizam suas atividades com enorme intensidade e paixão.

Isso porque eles possuem autoconhecimento, sabem o que gostam de fazer, enquanto os outros não.

E você? O quanto você se conhece? Do que você gosta? O que quer fazer na sua vida?

Caso pudesse realizar uma só atividade para o resto da sua existência, qual seria ela?

São perguntas simples, mas que em muitos casos possuem respostas muito complexas. Não é mesmo?

Foram tantos anos estudando diversos assuntos como português, história, matemática, física, etc, mas para que?

Em algum momento na sua história e de muitas outras pessoas o “por que” foi esquecido. Agora você já fez diversos cursos e sabe tanto sobre tudo, mas ainda não sabe o que realmente quer fazer.

Acredite, eu também já passei por isso, e não foi nada agradável. Mas felizmente existe uma solução.

Durante meus momentos de indecisão, muitos me disseram para eu ir lendo as descrições de diversas profissões, pois assim encontraria o trabalho dos meus sonhos. Infelizmente eu segui esse conselho, e por isso errei no momento de fazer a minha escolha.

Seguir essa dica foi o motivo que me fez largar o primeiro emprego que entrei, e então ir buscar novos caminhos.

Como eu iria encontrar algo se não sabia o que procurar? Eu garanto para você que ir atrás de uma atividade sem saber o que se deseja alcançar é um caminho certo para o fracasso.

Por isso eu te digo:

Antes de tomar qualquer decisão, conheça você mesmo!

Depois que esse ponto estiver bem claro, o trabalho dos seus sonhos será descoberto com muito menos esforço e com uma precisão inacreditável.

Durante todo o meu tempo de vida eu conheci diversas pessoas que entraram em empresas e depois largaram porque não era o que elas realmente gostavam. Sempre foi uma situação muito triste ver inúmeros indivíduos desperdiçarem o seu tempo de vida.

Claro que nos casos em que se descobre que aquilo que você está fazendo não é de seu real interesse vale a pena abandonar, aliás, só temos uma vida.

Mas isso poderia ser evitado caso as pessoas tivessem a oportunidade de refletir cuidadosamente sobre elas mesmas antes de fazerem as escolhas.

Tendo isso em vista, caso queria seguir o caminho do autoconhecimento e ser uma pessoa extraordinária nessa vida, tenho duas notícias para você.

A primeira delas é ruim: Você ficar se perguntando repetidamente “o que eu gosto?” não vai te ajudar em nada.

A segunda é excelente: A resposta para essa pergunta já está em você, mas é necessário trilhar um caminho para chegar a ela.

Esse texto tem a intenção de ajudar você nessa caminhada, apresentando diversos pontos de reflexão imprescindíveis para o autoconhecimento.

Então, continue lendo esse artigo para descobrir mais sobre você mesmo. Vamos juntos iniciar a busca pela atividade dos seus sonhos!

1º Passo: um olhar para o passado

Quando eu era criança adorava ter ideias e colocá-las em prática. Eu escrevia histórias, músicas e criava novas brincadeiras para depois realizá-las e ver como se saiam.

Passava horas encenando os personagens, ficava vez ou outra cantando as canções e sempre que sentia vontade brincava com meu irmão. Eu fazia isso para mim mesmo, sem precisar receber algo em troca ou da aprovação de alguém. Estava simplesmente fazendo o que eu gostava.

Esse meu passado diz muito sobre o que gosto atualmente, e tenho certeza que a sua infância vai dizer muito para você também.

Reflita sobre quais eram as atividades que você fazia por prazer, sem precisar de recompensas ou aprovações externas.

Pegue um papel e uma caneta, ou abra uma página do Evernote (recomendo ele por sincronizar as informações entre o computador e o celular, mas sinta-se à vontade para utilizar um editor de texto de sua preferência), e escreva quais eram essas atividades que você realizava.

A palavra “escreva” não está extremamente destacada à toa. É realmente necessário que faça isso, pois assim irá liberar espaço no seu cérebro para pensar em outras coisas.

Também deve-se levar em conta o fato de que várias atividades serão realizadas, e você vai precisar lembrar sobre todas as suas respostas.

Sem contar que visualizar as ideias de maneira escrita irá te permitir fazer conexões nunca antes percebidas. Você terá novos insights sobre seus gostos.

Um outro ponto para você refletir e anotar são quais experiências você já viveu e lembra de ter tido sentimentos positivos.

Quais são aquelas sensações que você deseja que se repitam em sua vida? E que atividades geraram elas?

Anote também o seu momento mais feliz. Qual foi ele?

Para ajudar a responder essas questões, e complementar o processo de autoconhecimento, crie uma linha do tempo com os bons momentos que ocorreram na sua vida.

2º Passo: o “eu” presente

Refletir sobre como você é atualmente também é um ponto imprescindível nessa jornada, porque vai te trazer mais clareza sobre o rumo que está seguindo.

Prepare-se para pensar profundamente sobre as próximas questões e anotar as suas respostas.

Quais são as coisas que você faz atualmente e não vê o tempo passar?

Muitas vezes estou criando um novo texto e quando vejo horas já se foram, mas pareceram minutos.

E você? O que faz e o tempo voa?

Uma outra atividade que merece atenção é o aprendizado. Tenho muito interesse em entender porque as pessoas agem de determinadas maneiras.

Por isso utilizo bastante tempo estudando sobre o tema através de vídeos, conversas e livros.

No seu caso provavelmente será algo diferente. O que você gosta de aprender? Quais são os temas que mais chamam a sua atenção?

Anote.

Isso nos conduz a mais uma etapa. Temas que apreciamos tendem a aparecerem constantemente nas nossas conversas com outras pessoas.

Portanto, escreva quais são os seus temas favoritos nos seus diálogos. Talvez sejam filmes, culinária, carros, escalada, astronomia, música, dança, piadas, etc. Quais são seus tópicos prediletos?

Um outro ponto que merece enorme destaque é o das experiências.

Caso eu pergunte a você qual o seu gênero de filme favorito, é grande a probabilidade de você me dar uma resposta precisa. Isso acontece pois você já assistiu diversos filmes diferentes, abrangendo os mais distintos tipos.

Por exemplo, na hipótese de uma pessoa só ter assistido filmes de aventura em sua vida, ela não teria como decidir a sua preferência com grande precisão, pois não teria com o que estabelecer uma comparação.

É devido a isso que para você responder sobre o que você gosta, é necessário experimentar.

Uma atividade para te ajudar nisso é criar uma lista com todas as coisas novas que você quer provar.

Não pense em como fazer por enquanto, mas só no que deseja realizar.

Depois que tiver os itens anotados, faça um ranking colocando o número 1 no que tiver mais desejo, e assim sucessivamente.

A seguir pense em como realizar as atividades.

Comece com passos pequenos, lendo sobre o assunto, procurando ver pessoas que já fizeram, e como fizeram.

O objetivo é colocar você em movimento, para aos poucos ir realizando mais e mais novas experiências.

3º Passo: uma visão para o futuro

Além do passado e do presente, convido você a pensar no futuro. O que você faz atualmente é determinante sobre como será a sua vida mais para frente.

Por isso é importante que saiba como quer estar, para assim ter ideia do que precisa fazer agora e, a partir disso, atingir os seus objetivos.

Pense em como você se imagina daqui a 10 anos. Que atividades vai estar fazendo? Em que lugar?

Tudo bem que o futuro é incerto, e você pode estar se indagando que supor algo que ainda virá é quase que jogar um jogo de azar, uma situação aleatória.

Mas lembre-se que nem todas informações passam por sua consciência. Muito do que diz respeito sobre como você é, e até mesmo o que você gosta, está presente no seu subconsciente.

Devido a isso é válido usar estratégias, como essa de criar o futuro, para acessar as informações presentes nessa região de difícil alcance.

Existe um ditado que diz o seguinte: “Jogue uma moeda para o alto quando for decidir algo extremamente difícil. Ela não vai fazer a decisão por você, mas no momento que ela estiver caindo, você saberá o que quer”.

O que ele quer dizer é que você vai torcer para a moeda cair do lado que representa a decisão de sua preferência. Esse fato serve para exemplificar que as respostas para questões que envolvem assuntos relacionados a você estão no seu interior.

Como você quer ser lembrado? Quais qualidades suas você gostaria que fossem reconhecidas?

Quando você morrer, o que quer que as pessoas digam no seu funeral? Quer ser caracterizado como alguém engraçado? Criativo?

Alguém que resolveu grandes questões matemáticas? Ou talvez uma pessoa que fez atuações memoráveis?

Um visionário que revolucionou os jogos de computador? Ou possivelmente um indivíduo que fez a diferença na vida de pessoas próximas a ele?

Permita-se usar a sua imaginação e escreva as respostas obtidas.

4º Passo: um cenário ideal

Outra linha de raciocínio que irá te trazer mais clareza sobre você mesmo é a idealização.

Em um cenário ideal os problemas são deixados de lado, e resta somente o que realmente importa, sem a presença de nenhuma barreira.

Seja sincero e responda:

 

 

Caso você não precisasse se preocupar com dinheiro, o que você faria?

Reflita sobre como seria a sua vida se ela fosse perfeita. Imagine a sua rotina dos sonhos. Que atividades iria realizar ao longo do dia?

Onde você iria? Com quem? Que lugar você moraria? Pense em tudo nos mínimos detalhes. Crie em sua mente a imagem da sua vida perfeita.

Escreva qual seria ela.

E se hoje fosse o último dia da sua vida, o que você gostaria de estar fazendo?

“Lembrar que eu vou estar morto em breve é a ferramenta mais importante que já encontrei para me ajudar a fazer grandes escolhas na vida.
Porque praticamente tudo, todas as expectativas externas, todo o orgulho, todo o medo de se constranger ou falhar;
Estas coisas simplesmente somem em face da morte, deixando apenas o que é verdadeiramente importante.
Lembrar que você vai morrer é a melhor maneira que eu conheço para evitar a armadilha de pensar que você tem algo a perder.
Você já está nu. Não há razão para não seguir o seu coração.”
Steve Jobs.

5º Passo: os segredos escondidos nos seus ídolos

Quando você admira uma pessoa, é porque existem características nela que você valoriza.

Analisar os seus ídolos com certeza vai te trazer insights sobre você mesmo.

Quem são os seus heróis? Quais são os aspectos que você admira neles? Quais são as habilidades que eles têm e você gostaria de possuir?

Talvez não seja a atividade que ele realiza que importa para você, mas a maneira como ele a conduz.

Por exemplo, eu tenho enorme admiração por Ayrton Senna, mesmo não querendo ser um piloto de F1. E um dos motivos para isso é o fato dele ter sido extraordinariamente dedicado a um objetivo: vencer.

Ver toda a sua preparação técnica, o seu treinamento físico, e toda a intensidade colocada no desejo de atingir uma meta, me inspira.

Isso me fez descobrir algo sobre mim. Eu gosto de me dedicar ao máximo pelas coisas que eu me importo. Tenho fascínio por ir até o limite, de me entregar por inteiro ao que acredito.

Portanto, reflita sobre os motivos que te levam a apreciar seus ídolos e anote as suas observações sobre esses fatos.

Ainda tratando desse tema, existe uma história que é digna de ser contada.

Há alguns anos atrás havia uma pessoa até então comum, mas aconteceu dela descobrir o que realmente gostava de fazer, e aí tudo mudou. A partir daquele momento ela foi se transformando em um grande ícone mundial.

Reparem no vídeo a seguir o que aconteceu com Steve Jobs no momento em que ele largou a faculdade e foi em busca de descobrir o que realmente gostava.

Notem que quando ele encontrou, sua vida passou por uma transformação, pois ele dedicou todas as suas forças na execução de seus sonhos.

Para aqueles que não tem tanto domínio do inglês, o vídeo possui legenda em português.

Veja o vídeo no YouTube, se preferir

“Você tem que encontrar o que você ama. E isso é tão verdade para o seu trabalho quanto é para seus relacionamentos.
Seu trabalho vai preencher uma parte grande da sua vida, e a única maneira de estar realmente satisfeito é fazer o que você acredita ser um ótimo trabalho.
E a única maneira de fazer um ótimo trabalho é amar o que você faz. Se você ainda não encontrou o que é, continue procurando. Não se acomode.
Como em todos os assuntos do coração, você saberá quando encontrar. E, como qualquer grande relacionamento, só fica melhor e melhor à medida que os anos passam.
Então continue procurando.
Não se acomode.”
Steve Jobs.

6º Passo: indo mais a fundo – uma análise detalhada

Nesse momento você já percorreu um grande caminho, e deve estar com diversas respostas para as inúmeras questões propostas anteriormente.

O que faremos agora é seguir adiante nessa jornada.

O que é importante para você? Liste os 5 valores mais relevantes na sua vida.

Exemplos possíveis para esses valores são: tranquilidade, confiança, família, sucesso, amizade, divertimento, criatividade, flexibilidade etc. Não tenha pressa. Pense cuidadosamente sobre os seus valores e anote eles.

Uma vez definidos, traduza-os em significados mais palpáveis para você. Por exemplo:

  • Divertimento -> Proporcionar alegria para as pessoas através de vídeos.
  • Amizade -> Estar sempre próximos aos amigos.
  • Criatividade -> Ter liberdade para colocar ideias em prática da minha maneira.

Essa atividade irá proporcionar melhor entendimento sobre quais são as prioridades na sua vida, e assim te ajudar a descobrir o que você gosta.

Um olhar de fora também é de grande valor para trazer maior compreensão sobre você mesmo.

Pergunte para pessoas próximas a você quais são as atividades que elas veem que você tem mais curiosidade.

A um tempo atrás um amigo meu fez uma observação dizendo que eu tinha interesse por muitos tópicos diferentes.

Através dessa prática ele me ajudou a descobrir que eu tenho gosto por aprender, independente sobre qual assunto for. Claro que uns temas com mais intensidade que outros.

Questione também os seus pais sobre como que você costumava brincar quando era criança. Que brinquedos e atividades escolhia?

Depois de anotar a resposta dessa última pergunta, reflita sobre o que essas atividades que você realizava no passado revelam sobre sua mentalidade.

Por exemplo, eu passava horas jogando jogos de RPG no computador. Isso me fez descobrir que na verdade não eram dos jogos em si que mais me atraiam, mas sim o fato de evoluir, de superar as dificuldades que estavam ali presentes.

Consegui ter a percepção que o que mais me encanta é resolver aqueles desafios de maneira criativa.

E você? O que as atividades do passado revelam sobre o que você gosta?

Pense nos motivos que faziam você gostar delas. Reflita sobre quais habilidades suas elas traziam à tona.

Talvez o que você gostava quando jogava futebol não era o jogo em si, mas o fato de usar a habilidade de correr, ou a sensação de ganhar dos adversários, superar um desafio.

Anote os resultados das suas reflexões.

O fim do começo de uma jornada

Espero que as diversas reflexões presentes nesse artigo tenham te aproximado da resposta para a pergunta tema desse texto: O que você gosta?

Caso ainda não tenha decifrado todos os enigmas para chegar ao resultado final, encorajo você a continuar nessa busca.

Existe uma pesquisa feita por uma enfermeira responsável por dar cuidados paliativos a pacientes que estavam próximos de morrer que aborda o tema arrependimento.

Ela questionou diversos enfermos sobre quais eram as suas maiores lamentações durante as suas vidas. E a resposta mais dada foi:

“Eu gostaria de ter tido a coragem de viver uma vida verdadeira a mim mesmo, e não a vida que os outros esperavam de mim.”

Quando as pessoas perceberam que sua vida estava quase no fim e olharam para trás, ficou fácil ver como muitos objetivos não foram alcançados.

A maioria delas não tinha dado uma chance para os seus sonhos e morreram sabendo que isso foi devido às escolhas que fizeram, ou não fizeram.

Não se permita cair nesse mesmo desgosto. Continue em busca de saber mais sobre você, e no momento que encontrar dedique-se ao máximo a sua essência.

No vídeo abaixo, Prince EA fala um pouco mais a respeito desse fato.

Se preferir, veja o vídeo no YouTube.

Para finalizar esse artigo gostaria de fazer duas perguntas bem simples:
  • Você deseja ter mais autoconhecimento?
  • Você tem vontade de realmente achar a atividade dos seus sonhos?

Se sim, continue acompanhando o Mandando a Real: Universidade. Estarei sempre trazendo conteúdos que irão fazer você descobrir mais sobre você mesmo e também te ajudar a encontrar a atividade dos seus sonhos.

Caso tenha ficado alguma dúvida, ou tenha alguma opinião que queira compartilhar a respeito do texto, deixa um comentário aqui embaixo que irei responder a todos com o maior prazer.

FONTEAngelo Henrique
COMPARTILHAR


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS