Aprenda a meditar enquanto caminha e emagreça suas emoções negativas

Você é capaz de tomar consciência do seu eu enquanto caminha. Concentre-se na sua respiração e você verá como é bom não ver além do aqui e agora.Aprenda a meditar enquanto caminha e emagreça suas emoções negativas.

Quando você caminha, tudo flui. Na verdade, caminhando não só dá para perder os quilos extras, como às vezes até dá para aliviar muitas preocupações diárias que nos tornam escravos do estresse.

Então, para conseguir um estado mais profundo de relaxamento e promover uma limpeza emocional com este tipo de exercício físico, recomendamos que você aprenda a meditar enquanto caminha.

É o que atualmente se conhece como “breathwalk” (respirar enquanto andamos). Trata-se de uma prática em que se combina a respiração sincronizada e o exercício físico moderado com a atenção plena.

Para muitos é um tipo de mindfulness que podemos aplicar no dia a dia enquanto exercitamos nosso corpo e relaxamos nossa mente como em meditação profunda.

É provável que, de início e com estas breves pinceladas, possa parecer algo confuso.

No entanto, garantimos que os benefícios são incríveis e que são muitos os atletas que já colocam esta estratégia em prática em suas rotinas diárias de trabalho.

Treine a mente enquanto caminha

Muita gente se inicia na prática da meditação sem ter resultados. O mindfulness, como já sabemos, é muito mais que um modo de relaxamento.

Ele nos convida a praticar uma atenção plena, para então aprender a estar mais presentes e ser receptivos a este entorno complexo, enquanto nos reafirmamos em nossas essências.

Apesar de seu objetivo ser muito saudável e promover um crescimento pessoal verdadeiro, nem todo mundo chega a aplicá-la na própria vida.

No entanto, se introduzirmos esta interessante abordagem ao exercício físico, daremos o salto que muitos já deram obtendo benefícios diretos: porque caminhar e meditar podem ir de mãos dadas.

Meditar enquanto caminha, uma prática ancestral

Para este mundo moderno, nervoso e cheio de demandas, meditar de forma tradicional é quase impossível. Como podemos sentar se há tanto para ser feito?

É algo que, sem dúvida acontece com muita gente. Mesmo assim, há momentos que tomamos consciência de duas coisas:

Precisamos administrar o estresse.

Por outro lado, também sabemos que é necessário fazer algum tipo de exercício. O sedentarismo nos rouba a saúde!

Assim sendo, por que não combinar as duas coisas? Estas duas questões nos dão uma ideia de por que o breathwalk é tão bem-sucedido.

Caminhar enquanto meditamos funde as raízes na prática do budismo Zen kinhin.

No Japão, por exemplo, é comum ver grupos de pessoas caminhando enquanto outros os guiam tocando sinos que marcam o tempo.
Esta prática é centrada, antes de tudo, na respiração sincronizada e nas passadas regulares com o que se aprende a viver o momento presente enquanto nos concentramos no próprio exercício.

Segundo nos explicam textos antigos, o próprio Buda tinha o costume de andar pelo bosque de forma relaxada.

O que fazia, em primeiro lugar, era sentar por uns minutos e meditar. Em seguida, iniciava a caminhada. Segundo ele mesmo explicava, o que se cultiva sentado, se aplica na marcha.

O simples feito de caminhar, de colocar os pés no chão, de senti-los aferrados à terra ao passo que nossa mente se orienta sem pensar, nos convida a meditar de forma quase automática.

No entanto, para conseguir fazê-lo de verdade é necessário aprender a respirar.

Uma prática muito simples que vale a pena aplicar no dia a dia

Apesar deste tipo de abordagem ter como base um componente espiritual, sendo praticantes destas crenças ou não, a verdade é que ela é muito benéfica para acalmar a mente.

Nos dias de hoje o mindfulness, por exemplo, está integrado a muitas técnicas psicológicas que têm como finalidade conseguir que a pessoa seja mais consciente do seu mundo emocional para que possa administrá-lo.

Por outro lado, se queremos desfrutar de um bom exercício físico ao mesmo tempo em que aprendemos a gerir um pouco melhor o estresse, nada melhor do que aplicar estas modestas técnicas de meditação do “breathwalk”.

Explicamos os segredos a seguir.

Coloque roupas confortáveis e sapatos fechados que protejam bem os pés.

Antes de começar a caminhada, sente-se por 5 minutos. Coloque as mãos sobre o peito e respire fundo.

Sinta como o peito se expande. Segure o ar por 10 segundos, e depois expire profundamente.

Repita várias vezes este exercício. Em seguida, você já estará pronto para começar a caminhar.

Comece a marcha pouco a pouco. Você deve sentir seus pés tocando o chão, tomar consciência das suas pernas e do coração que começa a bater como se orquestrado por uma música interna que lhe dá calma.

É importante que você sinta a respiração, que seja sonora, libertadora e purificadora: tome uma inspiração, sinta sua pressão no abdômen e deixe a expiração ir profundamente.

Descanse a cada 10 minutos e inicie a caminhada outra vez.

Una-se ao seu corpo para que sua mente esteja consciente do aqui e agora: esta é a única coisa que importa, é onde está a verdadeira calma.

FONTEMelhor com saúde
COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS