Amores loucos deixam saudades

Marina Barbieri

Quem nunca passou por um amor completamente insano? Amores que machucam fisicamente, que nos dão a ridícula certeza de que nunca acabarão e que a cada briga você acha que se jogará pela primeira janela que aparecer. Eu já passei e você provavelmente também já passou. Se não passou, para o seu próprio bem espero que algum dia ainda passe.

O lance dos amores loucos é que por pior que eles tenham acabado (ele sempre acabam de alguma forma péssima), eles deixam saudades. Não da pessoa ou da relação que tiveram, mas saudades do que você sentiu. Do que todo aquele amontoado de sentimentos confusos e exagerados fez com você.

Só que acontece que se você for uma pessoa minimamente sã, depois que você amadurece, você pega uma certa preguiça de amores loucos. Se uma adolescente passa por um amor louco, ela é só uma adolescente.

Se uma adulta passa por um amor louco, ela é uma louca e só. Depois que você cresce, você perde o seu aval social e pessoal para viver um amor louco. Não é nada consciente, eles simplesmente não acontecem mais.

Você ainda é capaz de amar de maneira forte e verdadeira, mas não chora mais no chão da cozinha, não tenta se matar, não grita no telefone, não se humilha, não chora até soluçar. Você não exerce mais todo o seu potencial de sofrimento. E que merda!

Todo ex amor deixa algo em nossas vidas. Somos frutos das nossas experiências e no âmbito emocional, somos o que restou das pessoas que amamos. E em se tratando de um amor louco, você é uma pessoa quando entra e outra quando sai.

Amores mudam e ensinam, mas amores loucos derrubam tudo o que existia antes e constroem algo totalmente novo. É como se amores fossem cursinhos e amores loucos, faculdade.

Amor louco é Tristão e Isolda, é Romeu e Julieta, é Amy e Blake, é Paul Bernardo e Karla Homolka, e acredite, por maior que seja a vontade de fazer dar certo, não é preciso ser um gênio para saber que algo tão obsessivo, exagerado e desequilibrado não possui a menor chance de ter sucesso.

Eles acabam e acabam mal. Amores loucos são a cocaína dos sentimentos. No final, eles sempre te cobram de volta toda a felicidade do durante e você sofre como nunca achou que seria possível.

Se eu pudesse dar um conselho para alguém que está vivendo um amor louco, seria: não se preocupe, vai passar. Mas enquanto não passa aproveite cada dor, porque quando ela acabar estará decretado o fim. E aí só te restará a saudade.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Marina Barbieri
Aprendeu a ler antes mesmo de conseguir segurar um livro e descobriu neles o que queria fazer para o resto da vida. Além do blog cuida de 3 gatos e é autora do livro “Fique com alguém que não tenha dúvidas”, lançado pela editora Única.

COMENTÁRIOS