7 exercícios de relaxamento para (finalmente) afastar a ansiedade

Resiliência Humana

Já dissemos isso em várias ocasiões: a ansiedade por si só não é ruim ou nociva. Na verdade ela é adaptativa, pois nos permite dar ao que nos rodeia o nível de atenção adequado.

No entanto, a ansiedade entendida como excesso de ativação se transforma em nociva para nós, nos afetando em nossa vida cotidiana. E a verdade é que, embora acreditemos que não corremos esse perigo, isso pode acontecer com qualquer um em qualquer momento da vida.

Por isso é muito importante desenvolver recursos e estratégias pessoais que nos permitam controlar as emoções e os pensamentos, pois como sabemos, a autogestão é uma habilidade fundamental.

Devemos saber que nem todas as técnicas de relaxamento servem da mesma forma para todos, e que seja qual for o exercício, devemos praticá-lo com assiduidade para que faça efeito.

Podem surgir na mente do leitor as seguintes perguntas: eu também devo fazer isso, mesmo que não tenha problemas de ansiedade? Quando é hora de relaxar? Em primeiro lugar, é importante destacar que todos nos beneficiamos da aprendizagem destes exercícios. Além disso, é necessário escolher um momento do dia em que não vamos ser interrompidos e garantir que, se escolhermos a noite, por exemplo, não vamos acabar adormecendo. O objetivo é aprender a técnica! Vamos ver alguns exercícios…

1. Aprender a respirar

Obviamente todos sabemos respirar, por isso estamos vivos; no entanto, não fazemos isso da forma correta para relaxar. Existem muitas formas de respirar, mas a respiração que praticamente todos realizam é uma respiração social e superficial.

Nosso ritmo habitual de respiração é acelerado, oral e superficial. Nós respiramos pela boca com pouco ou nenhum uso do diafragma, seja porque contraímos o abdômen ao tomar o fôlego, ou porque levantamos os ombros.

Assim, incorporamos apenas uma pequena quantidade de oxigênio, o que resulta em uma carência de vitalidade e uma menor resistência. Por isso, a respiração está situada no primeiro lugar da nossa lista, pois sem dúvida, uma boa respiração é a base do relaxamento.

Como primeira regra, podemos dizer que a nossa respiração natural deve ser sempre pelo nariz, pois assim filtramos o ar que entra e expulsamos as impurezas bloqueadas dentro do nariz. E embora existam vários tipos adequados, a respiração mais adequada fisiologicamente é a completa.

2. Relaxamento progressivo de Jacobson

Como afirmaria o criador deste tipo de relaxamento, “eliminar a tensão residual é a característica essencial deste método“. Assim, dado que a tensão mental ativa os músculos, para evitar a sobrecarga devemos compreender quando os músculos ficam tensos e o que podemos fazer para relaxá-los.

Para isso, é essencial conhecermos os grupos musculares que podemos relaxar. Apesar desta técnica precisar de um treinamento correto para ser aprendida, podemos nos beneficiar dos recursos que encontramos na Internet para colocá-la em prática. Vale a pena pesquisar mais sobre ela.

3. Método Silva ou relaxamento com visualização

Há pessoas que se beneficiam mais de um relaxamento que envolve visualizar imagens relaxantes. Existe o método Silva, que conta com vários exercícios disponíveis no YouTube. Você pode pesquisar caso queira começar a se aprofundar no relaxamento com visualização.

4. Treinamento autógeno de Schultz

Este tipo de relaxamento é baseado na sugestão, que induz sensações e pensamentos agradáveis que nos permitem relaxar. Ele se baseia na ideia de que todos temos o poder de mudar nossas vidas ao mudarmos a nossa atitude mental.

5. Mindfulness

Quando falamos de mindfulness, podemos entender tanto como uma técnica de meditação como um estado de consciência que gera um estilo de processamento que se traduz em atenção plena em relação ao que nos rodeia e aos acontecimentos que estão ocorrendo.

6. Caminhar ou fazer exercícios

Caminhar ou fazer qualquer atividade física nos ajuda a canalizar a ativação do nosso corpo. Ou seja, nos ajuda a refinar as preocupações da nossa mente, a reservar uma parcela da nossa alma a nós mesmos, algo que esquecemos com bastante frequência e que, sem dúvida, nos gera enormes problemas em todos os níveis.

7. Escutar músicas relaxantes

Escutar música relaxante também é uma ótima forma de conexão com o nosso eu interior mais calmo. Você conhece o ditado de que a música amansa as feras? A música realmente nos ajuda a apaziguar o ritmo da nossa mente.

Se você pensa que não tem tempo para praticar um exercício de relaxamento diariamente, então este é precisamente o momento em que você precisa fazer isso. Quanto mais você praticar, mais irá avançar; lembre-se de que bastam 21 dias para criar um hábito que irá melhorar a sua vida.

VIARaquel Brito
FONTEA mente é maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana

Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia


COMENTÁRIOS