Você que atira pedra por vaidade, viverá o efeito bumerangue!

Iara Fonseca

“Deixe que digam, que pensem, que falem! Deixa isso pra lá, vem pra cá, o que que tem?”

…Balanço de amor é assim…

Tudo que faço é com muita dedicação e amor ao próximo e nunca atirei uma pedra porque as pedras voltam como um bumerangue…

Pedras…

Pulo essas pedras atiradas por você como quem brinca de amarelinha, e mesmo ferida, sigo em frente, pois o ideal e a ideia, são maiores do que qualquer pedra que me atirou.

Sigo com dignidade e respeito ao próximo, sem demagogia e poser fake para aparecer e dizer que sou.

Enquanto você, vive uma vida mesquinha, regada a pitadas de pimentas assertivas no olho daquele que te ameaça inconscientemente a vaidade.

Que triste deve ser, ser você! Conviver com a sua essência mesquinha e vampiresca, sugando o sangue e se vangloriando de que todos a sua volta são irresponsáveis e antiprofissionais, enquanto você, ah você, todos sabem o quanto é perfeita!

Antes de defender qualquer que seja a cultura, defendamos primeiramente o ser humano.

Se os pilares de uma cultura forem desumanos, irônicos, e além de tudo boicotarem outros grupos que seguem linhas parecidas, simplesmente, por ego e vaidade, é sinal de que a cultura vai mal.

Aqueles que vivem uma ou outra cultura precisam ser exemplo do que ela representa, se ela representa a desunião, então que continuem em guerra, se ela representa a força e a luta, então que se unam para que a força seja redobrada.

Mas o ser humano continua querendo ser melhor que o outro, estar mais certo, ter mais fãs, quer status, quer dinheiro, quer ser dono e ter voz. Finge ser humilde e caridoso com o próximo… Para ganhar moral… Isso é imoral!

Espalha calúnias, faz um vendaval, e se transforma na disseminação do mal…

Semear a discórdia, ser político e promover a oposição de coisas que não fazem mal, simplesmente por vaidade, é irracional.

Mais amor, por favor, é fundamental!

E as pedras jogadas outrora voltarão feito um bumerangue em seu telhado de vidro!

Por tanto, sejamos verdadeiros, amigos, guerreiros, mas com armas sem pólvora, aladas no coração, com palavras de incentivo e atitudes de fortalecimento.

Só assim, uma cultura pode fazer a diferença, através do bem que cultua e cultiva!

Continuo e continuarei com o meu pensamento, independente de você! E ele me diz que devo cultivar o bem, sempre, e me afastar de atiradores de pedras profissionais. Essa é a prova de que meu coração esta cheio de armas aladas e que não preciso de mais nada para provar a ninguém que sou o que sou! Pensem como quiserem e me deixem seguir em paz!

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS





Iara Fonseca
Jornalista, poeta, educadora social, fundadora e editora de conteúdo do Rede de Ideias: PRODUÇÃO DE CONTEÚDO. Seu interior é intenso, sempre foi, transforma suas angustias em textos que ajudam muito mais a ela própria do que a quem lê. As vezes se pega relendo seus textos para tentar colocar em prática aquilo que, ela mesma, sabe que é difícil. Acredita que viemos aqui para aprender a ser, a cada dia, um pouco melhor, para si mesmo, e para o outro!

COMENTÁRIOS