5 formas de amarmos a nós mesmos

Resiliência Humana

O segredo para poder gostar dos outros é amar a nós mesmos primeiro, ainda que muitas vezes nos esqueçamos disso. Se não nos amamos, não poderemos estabelecer relacionamentos saudáveis porque é impossível oferecer aos outros o que falta em nós mesmos.

Mas, o que significa amar a si mesmo? Amar a nós mesmos significa estarmos atentos a nossas necessidades vitais, nos aceitarmos da forma como somos, nos respeitarmos, sermos honestos e darmos vida ao nosso melhor lado.

Ainda que pareça simples, não é sempre que conseguimos alcançar esse objetivo, por isso hoje destacamos 5 pontos importantes para que você possa aprender a se amar. Sim, é uma aprendizagem que levará tempo, mas cujos resultados serão bastante satisfatórios para si e para sua relação com os outros.

Como podemos amar a nós mesmos

1. Atreva-se a ser você mesmo

Muitas pessoas parecem ter dois tipos de cara: uma que mostram quando estão em casa (em família) e outra que apresentam diante de pessoas do exterior (amigos, vizinhos, desconhecidos). Parece que não se atrevem a ser eles mesmos e que tentam ser o que os outros querem que sejam.

Amar a nós mesmos quer dizer, necessariamente, deixar as aparências de lado e todas aquelas influências externas que podem estar governando nossa forma de ser. Não importa o âmbito em que você se mova, mostrar-se tal e como realmente é fará você se sentir muito melhor.

Esforçar-se para agradar os outros é um sacrifício grande demais que pode levar você aos caminhos do estresse e da ansiedade. Seja positivo com sua forma de ser e nunca se subestime. Lembre-se de que você não tem que ser mais do que você mesmo, e isso é muito fácil.

2. Viva experiências únicas

Se vivemos a vida um dia após o outro imersos na mesma rotina é impossível conseguir sentir algum tipo de emoção ou adrenalina que nos convide a experimentar vivências únicas. Pouco a pouco iremos nos transformando em pessoas apáticas e cinzas que não terão aspirações para serem realizadas que vão além dos seus costumes diários.

Amar a nós mesmos também implica que é nossa responsabilidade tomar as rédeas da vida para evitar vê-la passar diante dos nossos olhos como se não significasse nada. Sério que você vai perder o tempo tão valioso que tem?

Podemos usar como exemplo o medo que você tem de deixar esse trabalho que não o motiva e não acrescenta nada, porque o dinheiro sempre faz falta e você se encontra seguro. Arrisque, faça uma loucura. Você conseguirá tudo o que quiser se começar a tomar decisões que lhe permitam sair de uma situação de que não gosta.

3. Desenvolva seu potencial

Muitas pessoas se dão bem em certas atividades que podem estar relacionadas com o esporte ou a música, entre outras. Mas, se não praticam e não tiram um pouco do seu tempo para dedicar-se a esses hobbies, provavelmente não chegarão a usufruir deles nem a desenvolver todo o potencial que têm.

Todos nós temos algo em que somos bons e, ainda que não seja assim, sempre haverá uma atividade diferente que gostamos de fazer, provar e que nos tira dessa dinâmica de trabalho e obrigações na qual nos vemos imersos.

Imagine que você gosta de participar de alguma aula de pintura porque você se sente relaxada e gostaria de aperfeiçoar suas técnicas. Por alguma razão você não se atreve e acaba postergando a atividade. Não faça isso. Existem uma frase que diz “não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje”. Talvez, no futuro, você se arrependa de não tê-lo feito.

4. Reclame menos

Para amar a nós mesmos, deixar de lado o vitimismo será essencial. Em algumas ocasiões nos vemos imersos nessa espiral de queixas que não nos deixa avançar porque em vez de atuar, simplesmente nos lamentamos.

As queixas não lhe servirão de nada, e mais, impedirão que você aproveite o momento. Sempre é necessário ver o lado positivo de tudo o que ocorre conosco, porque ao invés de lamentar, isso nos ajuda! Podemos aprender, podemos ter ideias e avançar até onde queremos.

Lembre-se de alguma vez em que você se fez de vítima em alguma situação e tenha se queixado. Resolveu? Tudo deu certo depois? Com certeza não. Aproveite e, em vez de se queixar, adote uma atitude de aceitação e de otimismo.

5. Abra sua mente e liberte-se

Muitas vezes nos encontramos vivendo dentro de uma bolha da qual é impossível sair. Essa bolha nos protege, mas ao mesmo tempo nos impede de viver novas aventuras. Em algumas ocasiões, tudo isso nos impede de nos conectar com novas pessoas e descobrir passatempos que nos apaixonariam.

As pessoas com mentalidades fechadas são como uma rua sem saída. Ainda que avancem ou retrocedam existe um momento em que não podem ir mais além. Não estão conscientes de que essas ruas são apenas criações da sua própria mente. Nos apegamos a nós mesmos impedindo que nos libertemos e experimentemos coisas novas.

Em algumas ocasiões, viver numa bolha tem muito a ver com os medos que temos. O próprio temor de enfrentá-los faz com que nos fechemos em nós mesmos. Para se amar, aprender a encarar de frente e superá-los será indispensável.

Você ama a si mesmo? Amou alguém sem amar a si antes? É arriscado se atrever a iniciar um relacionamento sem previamente aprendermos a nos respeitarmos, a nos valorizarmos e a sermos honestos com nós mesmos e com os outros. Para estabelecer relacionamentos saudáveis com os outros, primeiro você tem que focar em si e criar uma relação saudável consigo mesmo. Apenas dessa maneira você poderá começar a amar os outros de maneira sincera e verdadeira.

FONTEA mente é maravilhosa
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS