Dicas do amigo gay: 7 coisas que as mulheres deveriam saber sobre os homens

Resiliência Humana

A Luiza me convidou a fazer um texto que, de acordo com ela, eu teria propriedade em fazer. Sobre “o que as mulheres poderiam aprender com os gays?”. Pensei e cheguei à várias dicas, porém, por mais que o texto seja para o público feminino, acredito que muito dele se aplicará a todos os gêneros!

Seja menos carente

Vamos definir o que é carência antes de tudo, né? Carentes são aqueles que são dependentes emocionalmente dos parceiros, o que te faz ficar cada vez menos interessante aos olhos dele! Você quer ter alguém ao seu lado por admiração, planos em comum, química e afinidade, não por pena, certo?


Seu parceiro quer uma mulher independente e forte ao lado dele, não um bebê pra tomar conta! Lembre-se, em regras gerais, quanto mais você procurar alguém, menos interessante você ficará e mais poder você dará à ele na relação!

Mas como saber se sou carente?

Se você é daquelas que vivem a se declarar, que acham que precisam de um homem pra ser feliz e que a sua felicidade está subordinada a tê-lo ao seu lado, que dedica toda a sua vida em função de agradá-lo e está sempre no pé dele (ligação, mensagem, quer saber onde ele está e blá blá blá): Você é carente! Tenha certeza que esse é um dos fatores que mais assustam os homens!

Dica: se você é carente, vá se ocupar! Procure ter novos hobbies, ser uma pessoa interessante, namorando ou não. Também não deixe de sair com os seus amigos, matricule-se naquela escola de música ou faça aula de canto. Procure fazer uma atividade física: se você não gosta de musculação, faça natação, e por aí vai.

Se sente meio “burra”, meio sem graça?: Por que não dar uma turbinada no currículo? Faça aquela especialização que você queria, aquele curso que poderá ajudá-la a conseguir um aumento/um emprego melhor!

A maioria das pessoas que não são carentes são aquelas que têm uma vida social agitada e mil amigos por perto!

Seja menos insegura

Inseguros são aqueles que se deixam dominar por pensamentos negativos ou exagerados por baixa autoestima, do tipo que você nunca é boa o suficiente.

Por exemplo, por mais que você seja magra e tenha um corpo legal, você se sente magra ao extremo ou se acha gorda! Você acha que ele é muita areia pro seu caminhãozinho, mesmo ele não sendo lá grande coisa. Você acha que ele vai te largar a qualquer momento. Acredita que você está sendo traída. UFFA! Ao listar essas situações, já fiquei cansado!

Sonhadora:
Eu tenho que confessar que já sofri desse mal e quebrei a cara. É de extrema importância saber que, às vezes, tomamos atitudes que nos sabotam e prejudicam. Por exemplo, eu estou só a conversar com o boy e percebo que temos algo em comum. Antes de eu sair pra conhecê-lo, eu já ficava a imaginar: Caracas! Me dei bem, achei o gatinho que eu estava atrás e ele tem todas as características que eu admiro! Somos tudo a ver!

Quando finalmente saía com ele, já estava quase apaixonado e qualquer coisinha que ele fizesse eu já aumentava “o love” numa proporção gigante. Lá pro 2º ou 3º encontro, já estava completamente apaixonado por uma pessoa que não fez N-A-D-A pra me conquistar. Consequentemente, eu corria atrás, tentava me mostrar uma pessoa interessante. Às vezes, ele só queria, sei lá, conhecer alguém diferente, beijar na boca, um simples casual e eu já achava que tinha conhecido o meu príncipe!

Solução/Dica: Hoje eu não me saboto mais! Podemos criar várias coisas, menos expectativas! Às vezes, faço até “a estratégia oposta”, pensando que não vai dar certo, que ele é um muleque piranha e não tem nada de especial! Será que eu vou pagar a minha língua? Acho difícil, heim? Não o vejo como um cara perfeito e pra eu me apaixonar, ele terá que ralar pra isso.

Tentar ver mais “benefícios” na relação sexual

Acho que é quase impossível cobrar de vocês a mesma libido que nós homens temos, uma vez que as nossas doses de testosterona são bem maiores do que a que vocês têm de progesterona. Nós temos entre 300 a 900 UI e as mulheres de 0 a 90 UI. Aliás. esses são os hormônios que são responsáveis pelo o nosso impulso sexual. Portanto, o impulso sexual dos homens pode chegar a ser 10 vezes maior que o das mulheres!

Às vezes acho que “o relacionamento é o preço que os homens pagam pra ter se#o”. E o se#o é o preço que as mulheres pagam para ter o amor. Cada um segue caminhos apostos, mas se um ficar sem se#o e outro fica sem amor, se sentem insatisfeitos na relação. No fim, desconfio que um homem vê se#o como se fosse no mínimo uns 50% da relação.

Fazer aquele oral

Bom, eu acredito que a diferença aqui é que os gays fazem oral por terem tesão. Só pra esclarecer, muitos gays não falam assim: sou bezerro mesmo!

Você deve estar pensando, não rola uma dica aí, já que é tão expert nesse assunto? Sim:

Não tenha nojinho, faça com vontade! Mas como? Primeiramente, não se esqueça de deixá-lo bem babado. Assim, a sensação de prazer é bem maior, e de caprichar na glande (cabeça), que é onde existe a maior sensibilidade! O resto é gosto pessoal: há caras que curtem a tal garganta profunda. Outros que brinque com as bolas.

Fazer anal

Eu até acho normal vocês não saberem fazê-lo direitinho, pois o prato principal que vocês tem é a pepeca! A porta dos fundos é só pra datas comemorativas! A maioria das mulheres temem passar o cheque (sujar a camisinha na hora H) e a dor. Entretanto, há técnicas para se um dia você desejar fazê-lo, nada saia errado:

Primeiramente, esteja familiarizada com a chuca (lavagem intestinal). Não há segredo, você vai pegar aquelas mangueirinhas de banheiros, colocá-la na entrada da portinha e deixar a água entrar, até sair limpinha. Pronto! Pode ficar sossegada que você não passará o cheque!

Uma dica final: lá não tem lubrificação própria, por mais que você use o lubrificante, recomendo usar aquelas bolinhas de glicerina! Dessa forma, com o atrito no canal, a bolinha estourará e manterá o canal lubrificado! Para diminuir a dor, indico que usem esses géis anestésicos próprios para anal.

Segredo do especialista: você tem que lambuzar bem os dedinhos e usar e abusar do anestésico. Não use-o só na portinha, você tem que colocar la dentro pra anestesiar as terminações nervosas. Relaxe que não é tão forte a ponto de você não sentir nada, mas a dor será bem mais fraca! PS: Essa dica do anestésico eu vi que atrizes do mundo pornô a usam para dar conta dos rapazes mega dotados!

Não descuidar da aparência

Brinco ao dizer que, houve o tempo em que as mulheres eram as mais vaidosas. Acredito que hoje os homens são mais vaidosos ou tanto quanto elas! Basta ir às clinicas estéticas: repare o gênero dos pacientes!

Teve um dia que eu fui em que todos os pacientes na recepção eram homens! Prestem atenção! Quem são a maioria nas academias e estão tão preocupados com corpos sarados e esbeltos? Não estou falando que todos esses homens são gays, só quero retratar a nova era da beleza! Houve o tempo em que os homens eram relaxados e não se preocupavam se estão barrigudos e peludos! No mundo gay, é muito mais explícito que o interesse em alguém acontece primeiro pelo físico: é como se fosse comprar um perfume! Primeiramente, você escolhe a embalagem, depois a essência. Se a embalagem não te agradar, você vai atrás de outro! Afinal, a maioria dos gays querem ser desejados, poder ficar com quem quiser (ter uma vida sexual ativa). Pra isso, você precisa ter um bom físico!

Tomar mais iniciativa

Foi-se o tempo em que a mulher era uma donzela e que tinha de esperar o cavalheiro cortejá-la para algo fluir. Hoje as mulheres são independes, livres, donas de si. Acho que esse negócio de esperar o cara chegar nela na balada e tal era coisa da época da minha mãe. No mundo gay, as coisas funcionam diferente: se você viu um cara gatinho que te interessou, você não vai esperá-lo chegar até você. Até porque se você demorar demais, outro vai pegá-lo e você ficará frustrado chupando o dedo.

Uma coisa que aprendi nas baladas é que, pra passar o rodo, você não precisa de carro, dinheiro, roupa cara, ser lindo, pagar bebida… Você precisa tomar a iniciativa, ter atitude e ser bastante cara de pau (faça a linha engraçada e direta).

Por exemplo: “Oi, tudo bem? Você está sozinho? Eu estava te olhando ali no canto. Podemos conversar num lugar mais longe do barulho?” Se você quiser ser mais cara de pau, como nós somos, falaria assim: “E aí, gatinho? Te achei uma delícia, vamos ali pra aquele escurinho que eu estou morrendo de vontade de beijar sua boca!” O boy ficará sem palavras, vai até gaguejar. Não há como resistir a tanta atitude.

Acho que é isso. Alguma consideração? Estamos abertos à debate!

FONTEPergunte a uma Mulher
COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia

COMENTÁRIOS