Não dê ouvidos as vozes tolas que não sabem o que dizem sobre ela, mas ouça a voz de Cristo que diz que o maior mandamento é o amor

Tatielle Katluryn

Para alguns pode parecer drama, mas para ela é a corajosa expressão da dor que enfrenta. Talvez a maioria das pessoas que escutam aquilo que ela diz, como ela mostra, a forma como se veste, o seu jeito de olhar o mundo, não acham que seja algo sério e acham sem importância os sinais que demonstram o que ela escondeu por tanto tempo: a sua dor emocional.

Antes de expressar abertamente a forma como se sente, ela já sentia intensamente a tristeza, a decepção, o abandono. Antes de vestir roupas escuras, antes de machucar o próprio corpo, ela já pensava que o mundo seria um melhor lugar sem ela.

E as motivações que a fizeram mudar tanto, que a tiraram do céu e levaram ao abismo são reais e não podem continuar sendo ignoradas. Aquilo que a feriu não pode continuar sem ser investigado a fundo para poderem entender o que causou, como o fez e a forma que poderá ser curada.

Ela merece atenção, cuidado, carinho, mas as pessoas continuam pensando que é drama, bobagem, que é coisa de gente mimada, desocupada, ridícula. Eles não compreendem que por trás de cada palavra dita corajosamente por ela quando relata seus sentimentos, existem mais mil palavras não mencionadas por medo de julgamentos, críticas e até mesmo piadas.

Que atrás da sua armadura que não deixa ninguém lhe abraçar, tem apenas uma menina frágil que tem medo de ser derrubada novamente se voltar a confiar. É que ela já tentou antes, ela já se abriu um pouco e permitiu que algumas pessoas a ajudassem, porém eles não foram até o fim por ela, logo desistiram e ainda espalharam seus segredos.

Ela queria ter alguém para confiar, mas seu coração aprendeu a se proteger e não deixa que ela faça isso outra vez.

Por isso tem gente que diz: “Como ajudar alguém que não quer ser ajudada?”. Simples, seja paciente. Não se pode chegar na moça e ditar uma lista de regras do que ela pode e não pode sentir, o que pode ou não pode mais fazer para ver se assim se livra dessa angustia.

Pois ela não precisa de ordens a ser seguidas, ela necessita de um ouvido disposto e um peito para encostar a cabeça quando quiser chorar até soluçar. Mas é aos poucos que poderá mostrar a ela que a sua intenção é boa, que não será como os outros, que não quebrará suas promessas, que irá ama-la mesmo quando ver as máscaras caindo e não achar bonito o que estava por baixo.

Ela não quer sua perfeição e espera que você também não queira a dela, que não exija uma mudança repentina da noite para dia e que respeite o tempo dela de reflorescer.

Eu sei que é mais fácil desistir, tentar ajudar uma ou duas vezes e que se ela recusar diz que lavou as mãos, fez o que podia e agora está nas mãos de Deus. Porém se tem uma coisa que eu aprendi é que algumas coisas Deus fará e outras somos nós.

Ele irá realizar o impossível, o sobrenatural. Ele vai tocar aonde não poderíamos. Ele chegará aonde não iriamos, porém têm algumas coisas que são de nossa responsabilidade, como, por exemplo, abraçar quando as palavras faltarem, guardar os segredos que ouvir, limpar os machucados que ela pode repetir nos pulsos.

Ele pode curar o coração, mas você estará lá a apoiando, segurando na mão, a fazendo rir, a convidando para passar uma tarde assistindo filme enquanto tomam sorvete. Além de incentiva-la a procurar tratamento psicológico, pois o profissional tem técnicas e métodos especiais para ajuda-la a lidar com tudo isso, mas ele não exclui a importância da família, dos amigos e de Deus na recuperação.

Portanto, não vá embora, não seja mais um que tenta e depois desiste, não seja aquele que comenta com os outros que isso é drama, que ela só quer chamar atenção e que têm pessoas mais sofridas na vida, por isso ela não precisa de ajuda e sim as crianças que morram de fome, por exemplo.

Não a julgue, pois nós não sabemos quando isso começou e quem ou o que causou, nós estamos apenas observando comportamentos externos de problema internos tão sérios, tão reais, que te fariam chorar caso pudesse a ver por dentro. Por isso, a puxe para si e sussurre em seu ouvido que ela vale a pena, que é especial, querida e será muito amada se ela deixar.

Seja sincero, não minta, não prometa o que não poderá cumprir, e se dizer que estará lá esteja mesmo. Ela não pode continuar sendo excluída, deixada de lado, esquecida pelas pessoas porque acham que é uma fase que logo passará sem o auxilio de ninguém.

Não dê ouvidos as vozes tolas que não sabem o que dizem sobre ela, mas ouça a voz de Cristo que diz que o maior mandamento é o amor, então só a ame, cuide, ore por sua vida e seja a fortaleza que ela precisa para continuar em pé.

COMPARTILHAR

RECOMENDAMOS


Tatielle Katluryn

Tatielle Katluryn, florescida em 1996, com sangue Maranhense e coração pertencente ao céu. Sou cristã e estudante, apaixonada por livros do séc. XIX e Astronomia. E Deus me chamou para falar aquilo que Ele quer dizer as pessoas, para levar a paz a corações tão ansiosos quanto o meu. É tão linda a forma que Ele me cuida enquanto me usa para fazer sua vontade e só tenho a agradecer por tamanho amor que me consertou sem eu merecer.


COMENTÁRIOS