10 DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS ESPIRITUALMENTE

Hoje temos um grande número de “infectados” por “contaminantes conceituais” – que compreendem uma relação confusa e imatura para princípios espirituais.
As 10 categorizações seguintes não se destinam a ser definitivas, mas são oferecidas como uma ferramenta para tornar-se consciente de algumas das doenças mais comuns transmitidas espiritualmente.

1. FAST-FOOD ESPIRITUALIDADE:
Misture espiritualidade com uma cultura que celebra a velocidade, multitarefa e gratificação instantânea e o resultado é provável que seja a espiritualidade fast-food. Espiritualidade Fast-food é um produto da fantasia comum e compreensível de que o alívio do sofrimento da nossa condição humana pode ser rápido e fácil. Uma coisa é clara: a transformação espiritual não pode ser conquistada em uma solução rápida.

2. IMITAÇÃO DE ESPIRITUALIDADE:
É a tendência de falar, vestir e agir como nós imaginamos que uma pessoa espiritual faria. É um tipo de espiritualidade baseada na imitação.

3. MOTIVAÇÕES CONFUSAS:
Embora o nosso desejo de crescer seja genuíno e puro, muitas vezes se confunde com motivações menores, incluindo o desejo de ser amado, o desejo de pertencer, a necessidade de preencher nosso vazio interno, a crença de que o caminho espiritual irá remover o nosso sofrimento e ambição, o desejo de ser especial, para ser melhor do que os outros, para ser “o único.”

4. IDENTIFICAÇÃO COM EXPERIÊNCIAS ESPIRITUAIS:
Nesta doença, o ego se identifica com nossa experiência e nós começamos a acreditar que estamos incorporando idéias que surgiram dentro de nós em determinados momentos. Na maioria dos casos, ele não dura indefinidamente, embora a tendência seja de perdurar por longos períodos de tempo naqueles que acreditam ser iluminados e/ou mestres espirituais.

5. EGO ESPIRITUALIZADO:
Esta doença ocorre quando a própria estrutura da personalidade egóica torna-se profundamente enraizada com conceitos e ideias espirituais. O resultado é uma estrutura que é egoica “à prova de bala.” Quando o ego se torna espiritualizado, somos invulneráveis a ajudar. Tornamo-nos seres humanos impenetráveis. Tudo em nome da espiritualidade.

6. PRODUÇÃO DE PROFESSORES ESPIRITUAIS EM MASSA:
Há atualmente uma série de tradições espirituais da moda que produzem pessoas que acreditam estar em um nível de iluminação espiritual, ou domínio muito além de seu nível real. Esta doença funciona como uma correia transportadora espiritual: obtêm-se um insight, e – bam! – Você fica iluminado e pronto para iluminar os outros de maneira similar.

7. ORGULHO ESPIRITUAL:
O orgulho espiritual surge quando o praticante, através de anos de esforço trabalhado, atingiu realmente um certo nível de sabedoria e usa essa realização para justificar a recusa por mais experiências. Um sentimento de “superioridade espiritual” é outro sintoma desta doença transmitida espiritualmente. Manifesta-se como uma sensação sutil que “Eu sou melhor, mais sábio e acima dos outros porque sou espiritual.”

8. GRUPO MENTE:
Contém muitos elementos de co-dependência tradicional. Um grupo espiritual faz acordos sutis e inconscientes sobre as maneiras corretas de pensar, falar, vestir e agir. Indivíduos e grupos infectados com “mente de grupo” rejeitam indivíduos, atitudes e circunstâncias que não estejam em conformidade com as regras muitas vezes não escritas do grupo.

9. O COMPLEXO DO POVO ESCOLHIDO:
É a crença de que “O nosso grupo é mais evoluído espiritualmente, poderoso, iluminado e, simplesmente, melhor do que qualquer outro grupo.”

10. O VÍRUS MORTAL: “EU CHEGUEI”:
Esta doença é tão potente que tem a capacidade de ser terminal e mortal para a nossa evolução espiritual. Esta é a crença de que “eu cheguei” no objetivo final do caminho espiritual. O nosso progresso espiritual termina no ponto onde essa crença se torna cristalizada em nossa psique.
Uma parte crítica de aprender o discernimento sobre o caminho espiritual é descobrir as doenças penetrantes do ego e auto-engano que estão em todos nós. Ao enfrentarmos nossos obstáculos para o crescimento espiritual, há momentos em que é fácil cair em um sentimento de desespero e autodiminuição e perder nossa confiança no caminho.Temos de manter a fé, em nós mesmos e nos outros, a fim de realmente fazer a diferença neste mundo.

VIAMariana Caplan, PhD
COMPARTILHAR
Resiliência Humana
Bem-estar, Autoconhecimento e Terapia



COMENTÁRIOS